Jornal Diário do Estado

Morre dramaturgo Zé Celso, aos 86 anos

Internado desde terça-feira, 4, no Hospital das Clínicas de São Paulo, ele teve 40% do corpo queimado em um incêndio em sua residência

Nesta quinta-feira, 6, morreu o dramaturgo Zé Celso, aos 86 anos. Fundador do Teatro Oficina, ele estava internado desde terça-feira, 4, no Hospital das Clínicas, na Zona Oeste de São Paulo, capital, após ter 40% do corpo queimado em um incêndio que ocorreu em sua residência, localizada no bairro Paraíso, no centro de São Paulo.

As causas do incêndio ainda serão investigadas, mas a suspeita é de que aconteceu um curto-circuito no ar-condicionado ou no aquecedor da residência do dramaturgo. Zé Celso deixa seu marido, Marcelo Drummond, de 60 anos, com quem viva junto desde 1987 e com o doguinho do casal, chamado Nagô.

Nascido em Araraquara, no interior de São Paulo, em 1937, Zé Celso se tornou um dos maiores dramaturgos do País. Ele foi responsável por montar importantes peças teatrais como  Os pequenos burgueses, de Máximo Górki, O rei da vela, de Oswald de Andrade, e Roda-viva, do cantor e compositor carioca Chico Buarque de Holanda.

O dramaturgo Zé Celso se tornou um dos principais nomes da cultura brasileira nas últimas décadas ao fundar o Teatro Oficina, em 1958, em São Paulo. A companhia de teatro foi responsável por inventar uma linguagem teatral embebida em “pulsão dionísica” e por afrontar a ditadura militar no País(1964-1985). Tanto ao ponto de Zé Celson ser detido e exilado pelos militares para Portugal, em 1974, onde ficou por cinco anos.