Jornal Diário do Estado

MP-GO cria Força-tarefa para apurar acusações contra João de Deus, em Abadiânia

O Ministério Público de Goiás criou nesta segunda-feira (10), uma força-tarefa apurar as acusações de abuso sexual feitas contra o médium João Teixeira de Faria, o João de Deus.

Só ontem, o MP-GO já havia recebido o contato de mais de 40 mulheres que se identificaram como vítimas do médium. Deste total, 35 procuraram o órgão pelo e-mail criado exclusivamente para essa finalidade. Os depoimentos de todas essas vítimas serão agendados para serem colhidos nos próximos dias.

O procurador-geral de Justiça de Goiás, Benedito Torres Neto, assinou uma portaria designando cinco promotores e duas psicólogas da equipe do MP-GO para integrarem a força-tarefa.

O contanto criado pelo MP-GO para que as vítimas possam realizar as denúncias  pode ser acessado através do link [email protected]. O órgão salienta a importância das vítimas denunciarem e se apresentarem às entidades judiciais competentes para que o caso possa ser esclarecido.

 

O Caso

João Teixeira de Faria, o João de Deus, foi acusado por dezenas de mulheres de cometer abusos sexuais durante sessões espíritas na Casa Dom Inácio, em Abadiânia, interior de Goiás.

Segundo as vítimas, que relataram atitudes semelhantes do médium durante a prática criminosa, João de Deus utilizava de sua mediunidade para abusar das mulheres afirmando que elas só conseguiram a cura da espiritualidade se praticassem o que o médium lhes mandava fazer.

Zahira Leeneke Maus, uma coreógrafa holandesa, foi a primeira a denunciar os abusos. Recentemente, ela fez uma denúncia pública no Facebook e na última sexta-feira (7), esteve em um programa de televisão aqui no Brasil para falar sobre a violência sofrida quatro anos atrás.