Jornal Diário do Estado

Mulher com problemas psiquiátricos agride família em hospital

Os parentes esperavam há cinco dias pela cirurgia no ombro

Familiares de uma paciente do Hospital de Urgências de Goiânia (HUGO) afirmam que precisaram morar em um carro por cinco dias enquanto um parente aguardava uma cirurgia no ombro. A família mora em Cabeceiras, a 330km da capital, e acompanhava Luciene José de Oliveira, de 49 anos, que, segundo relatos, apresenta problemas psiquiátricos. Luciene foi liberada na manhã desta terça-feira (13) sem realizar a operação.

Os parentes contam que buscaram ajuda e foram direcionados à ouvidoria do hospital, mas não receberam nenhum retorno. A assessoria do Hugo relata que a família não entrou em contato com a equipe do Serviço Social em busca de orientação sobre onde se hospedar de forma gratuita. Segundo o hospital, se soubesse da situação, teria tomado providências. Em nota divulgada pelo Hugo, a avaliação médica constatou que: “a fratura não necessita de uma cirurgia imediata”.

“É muito difícil ficar vindo aqui e ela tem problemas psiquiátricos. Ela precisa passar pela cirurgia o mais rápido senão ela vai surtar. Ela já está agredindo, não quer comer, não quer tomar banho, não deixa a gente chegar perto dela”, afirmou a irmã de Luciene. Por fim, a família decidiu levá-la a uma unidade de saúde mais próxima de Cabeceiras.