Jornal Diário do Estado

Mulher é impedida de embarcar em voo com filha que não tem braços e pernas

De acordo com as funcionárias da companhia, a mulher não poderia embarcar com a filha devido a questões de segurança

Na última sexta-feira, 6, Naídes Sales foi impedida, juntamente com sua filha de 8 anos, de seguir em voo da companhia aérea Gol no trajeto de São Paulo à Fortaleza. O caso repercutiu somente nesta quarta-feira, 11, por meio de um vídeo que mostra o momento em que a mulher embarca no avião com a filha que nasceu com escoliose e não possui braços e pernas. Depois, ela é abordada por duas funcionárias da companhia, que solicitam que ela desça da aeronave.

Naturais do município de Reriubata, no Ceará, Naídes e sua filha foram a São Paulo para uma tratamento de saúde da menina e o episódio aconteceu no retorno para o estado natal. De acordo com as funcionárias da companhia, a mulher não poderia embarcar com a filha devido a questões de segurança, visto que a criança iria no colo na mãe por não conseguir sentar-se em uma poltrona.

Em nota, a companhia aérea afirma que seguiu o artigo 121, do Regulamento Brasileiro da Aviação Civil (RBAC), que proíbe viagem de crianças com mais de 2 anos de idade no colo de adulto, visto que em “turbulência mais severa ou numa desaceleração, por exemplo, o uso do cinto de segurança é a forma mais eficaz para se evitar graves acidentes a bordo”, declara a companhia.

Apesar do impasse, Naídes conseguiu embarcar por outra companhia com a filha no colo. A família pretende entrar com uma ação na Justiça por danos morais.