Jornal Diário do Estado

Mulher trans é encontrada morta dentro da própria casa

Técnica de enfermagem, Julia Nicolly Moreira da Silva, tinha 34 anos de idade. Os pais da vítima acreditam que tenha sido crime de ódio

Uma mulher trans foi encontrada morta na própria casa em Belford Roxo, no Rio de Janeiro, na última terça-feira, 25. Julia Nicolly Moreira da Silva, de 34 anos, era técnica de enfermagem e foi assassinada a facadas e amordaçada dentro da residência. A família da vítima acredita que tenha sido crime de ódio. 

Segundo as informações relatadas pelos vizinhos, o crime ocorreu por volta das 21h, quando dois homens foram à casa da técnica de enfermagem, no Parque São Vicente. Horas depois, a dupla foi vista saindo da residência com o carro de Julia, o que deixou algumas crianças, que estavam brincando próximo ao local, alarmadas. Eles acharam a movimentação dos suspeitos estranha e chamaram os pais. 

Ao serem notificados, os vizinhos foram à casa dela e ao notarem que a mulher não estava respondendo aos chamados, arrombaram a porta. Ao entrarem, encontraram a técnica amordaçada e com um algodão na boca, além de inúmeras marcas de facadas pelo corpo. 

O carro de Julia foi encontrado com marcas de sangue no dia seguinte do crime, em outro bairro da mesma cidade. Dentro do veículo foram encontrados documentos, cartões e dinheiros de da vítima, apenas o celular dela foi levado. 

Julia trabalhava como técnica de enfermagem na Organização Social (OS) Ideais, no Hospital Getúlio Vargas Filho em Niterói e no Hospital da Mulher de São João de Meriti. Através de uma nota, a Organização lamentou a perda da funcionária e destacou que os “funcionários afirmam que ela sempre foi muito comprometida, competente e prestativa”.

De acordo com informações divulgadas, essa não foi a primeira agressão sofrida por Julia. Em julho de 2021, a técnica foi esfaqueada por um homem dentro da própria casa. Ela teria conhecido o agressor em um bar, e ambos teriam ido para a residência dela, onde foi cometido o crime. Ele foi preso em flagrante e foi condenado por tentativa de feminicídio por motivos torpes, em que a vítima nem teve condições de defesa.

Um ano após ter sido esfaqueada por este homem que foi condenado, Julia recebeu uma ameaça do agressor, disse a família. O enterro da técnica aconteceu nesta quinta-feira, 27, ao meio-dia, no Cemitério da Sda Solidão em Belford Roxo.