“O demônio se apoderou dele”, diz pai de Lázaro, autor de chacina em Ceilândia

A policia entra hoje no oitavo dia de buscas pelo criminoso que vem cometendo uma série de crimes no interior de Goiás

A busca por Lázaro Barbosa, suspeito de matar quatro pessoas de uma família em Ceilândia, está entrando no oitavo dia nesta quarta-feira (16) e tem aterrorizado não só a população de Edilândia, povoado de Cocalzinha de Goiás, mas também os familiares do criminoso.

O pai de Lázaro, Edenaldo Barbosa Magalhães, de 57 anos, concedeu ao jornal Correio Braziliense uma entrevista e contou que não reconhece o filho e que tem medo do suspeito. ”O demônio se apoderou dele”, afirmou.

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

Além de Lázaro, Edenaldo tem três filhos – de 16, 13 e 2 anos – e é casado há duas décadas com a mesma mulher. O aposentado vive uma vida simples no município de Girassol e contou que já sofreu dois infartos e um acidente cardiovascular (AVC).

”E eu com o coração na mão, doente. Só não morri ainda porque acho que Deus não quis”, disse o homem, que se declara evangélico. ” O demônio se apoderou dele”.

O pai do suspeito contou que casou com a mãe de Lázaro, Eva Maria Sousa, quando tinha apenas 17 anos, quando moravam em Barras do Mendes, município de Bahia. Por conta de brigas e agressões, os dois se separaram quando Lázaro e o irmão mais novo, Deusdete, ainda eram crianças.

Assim como o Lázaro, o irmão mais novo também estava envolvido em roubos e homicídios, morrendo há cinco anos atrás durante um acerto de contas em Goiás.

Edenaldo contou que não via o filho a 20 anos e apenas o reencontrou há seis anos, depois que Lázaro fugiu de um presídio em Goiás. Ele chama o filho de mostro e diz que tem vergonha da forma como o filho cometeu os crimes.

“Esse monstro, eu registrei, mas quando as pessoas falam ‘o seu filho’, aquilo me estremece todo. Não dá vontade nem de ficar mais na Terra. Eu estou arrasado. Se eu vê-lo por aí, eu nem conheço mais”, lamenta.

Lázaro Barbosa tem cometido uma série de crimes durante a fuga da polícia, que entra hoje no oitavo dia. Mais de 200 policiais de Goiás e Distrito Federal participam da operação com ajuda de drones, helicoptéro e cavalaria. O pai de Lázaro deseja justiça por todas as famílias que vem sofrendo com os crimes do filho. “Eu não quero ele solto jamais. Porque estou com medo dele fazer mal a mim e a minha família. Olha só o que ele tá fazendo com todo mundo”, revolta-se.

A mãe de Lázaro se mudou a pouco tempo para o município de Girassol, no interior de Goiás. O motivo teria sido o envolvimento do filho com os crimes.

Ao jornal, comerciantes e moradores contaram que Lázaro assassinou o caseiro de uma chácara e foi jurado de morte na região, que chegaram a oferecer um prêmio para que matasse o criminoso.

A série de crimes.

  • Quarta-feira (9): Quatro pessoas de uma família foram assassinadas em Ceilândia. Foram eles: o empresário Cláudio Vidal, 48; e os dois filhos dele, Gustavo Marques, 21; e Carlos Eduardo Videl, 15. Lázaro também sequestrou a mãe deles, Cleonice Marques, 43.
  • Sexta-feira (11): A procura pelo suspeito começam no interior de DF.
  • Sábado (12): O corpo de Cleonice é achado em um córrego próximo ao esconderijo do criminoso. O cadáver estava nu, de bruços e com cortes na região das nádegas.
  • Sábado (12), à noite: Três pessoas de uma mesma família são baleadas em uma zona rural de Cocalzinho de Goiás. O suspeito teria obrigado as vítimas a fazer comida e usar drogas com ele. Além de roubar duas armas de fogo e munições. Os feridos estão hospitalizados, dois em estado grave.
  • Domingo (13): Lázaro rouba um Corsa vermelho em uma chácara e foge. O veículo é abandonado na BR-070, depois que o suspeito avista uma barreira policial e entra em uma área de mato.
  • Segunda-feira (4): O criminoso pede comida em uma chácara de Edilândia, mas o caseiro acaba negando. Lázaro efetua tiros contra o homem que revida os tiros com uma espingarda. O criminoso sai correndo pela mata.
  • Terça-feira (15): Lázaro tenta fazer novas vítimas e mantém um casal e a filha de 15 anos como reféns. As três pessoas apenas são liberadas depois que o criminoso troca tiros com a policia, que tem dois policiais baleados.
Tags: