OAB entra no caso da influencer de Anápolis investigada por discriminação

Maquiadora gravou vídeo com a mãe onde aparece zombando de vagas para pessoas com autisto. Influencer e a mãe podem ser indiciadas

A polêmica envolvendo a maquiadora e influenciadora digital de Anápolis, Larissa Rosa, vem ganhando novos capítulos. Destas vez, a Comissão de Diversidade Sexual da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), subseção Anápolis, enviou notícia-crime à Polícia Civil (PC) pedindo o indiciamento da acusada por homofobia, após o vídeo que ela gravou zombando de vagas para autistas bombar na Internet.

Além de fazer chacota com pessoas que possuem Transtorno do Espectro Autista (TEA), a influenciadora também questiona se “vai ter vaga para gordo estressado”, além de dizer que confundiu as vagas de autistas pensando que fossem para “veados” por serem coloridas.

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

Larissa chegou a prestar depoimento ao Grupo Especializado no Atendimento às Vítimas de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Greacri), e alegou que tudo não passou de uma brincadeira e que não quis ofender ninguém. A mãe da maquiadora, Vânia Rosa, que também aparece no vídeo, reforçou a fala da filha de que não tinham intenção de causar essa polêmica. As duas são investigadas por discriminação de pessoa em razão de sua deficiência. A pena pode atingir três anos, além de multa.

LEIA TAMBÉM

• Em plena luz do dia, homens roubam clínica odontológica de Anápolis• Veja os compromissos goianos do final de semana no Brasileirão• Governo Federal tem cinco dias para explicar manual contra aborto legal

Vídeo

O vídeo foi gravado no estacionamento de um shopping de Goiânia enquanto elas procuravam vaga para estacionar. A influenciadora viu a vaga reservada com o símbolo de fita quebra-cabeça colorido, usado mundialmente para identificar a prioridade dos autistas.

“Gente, olha isso aqui. Agora tem vaga exclusiva para autista. Cara, o mundo está muito difícil. Quero saber quando vai ter vaga para gordo estressado.  […] A vaga é tão colorida que achei que era para viado. Vaga para mim nunca tem”, diz Larissa rindo das vagas.

 

Tags: