Jornal Diário do Estado

Em 2023, óbitos por H1N1 aumentaram 300% em relação ao ano passado

Maioria dos infectados são pessoas com mais de 60 anos, totalizando 28 casos no Estado de Goiás

De acordo com o painel Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), alimentado pela Secretaria Estadual de Saúde do Estado de Goiás (SES-GO), o estado goiano registrou 87 casos de diagnósticos com vírus H1N1 e 12 óbitos neste primeiro semestre de 2023.

Entre os casos diagnosticados, a maioria dos infectados são pessoas com mais de 60 anos, totalizando em 28 casos no Estado de Goiás. Em crianças de até 9 anos, o relatório indica que 24 foram diagnosticadas. Os maiores números de casos positivos foram identificados nos municípios de Goiânia, com 17 casos, Itaberaí, com 13, e Anápolis, com 8.

Números de óbitos por vírus H1N1 foram maiores em pessoas acima de 40 anos

Os casos que foram à óbito atingiram mais as pessoas acima de 40 anos, sendo o total de 11 pessoas nessa faixa etária. Apenas uma criança com menos de 2 anos veio a falecer em decorrência das complicações causadas pelo vírus H1N1. Dois dos óbitos acorreram na capital do Estado e 3, em Jataí.

Os demais óbitos foram nos municípios de Guapó, Inhumas, Catalão, Aparecida de Goiânia, Goianésia, Quirinópolis e Iporá. Com esse número de óbitos, o ano de 2023 já supera o total registrado em 2022, com 3 óbitos, e em 2020, quando foram registrados apenas 5.

Ainda segundo o relatório da SES-GO, os fatores de riscos com maior incidência de óbitos pelo vírus H1N1 são doenças cardiovasculares, sendo 4 dos óbitos, doenças respiratórias, 2 casos, e doença renal, também dois dos óbitos registrados em 2023.

Confira os locais de vacinação contra o vírus H1N1 em Goiânia

Em Goiânia, as vacinas contra o vírus H1N1 já estão disponíveis para toda população acima dos seis meses de idade nos postos de saúde. Neste link aqui, você pode conferir os postos nos quais a Prefeitura de Goiânia disponibiliza o imunizante.