O diabetes e a perda de visão

Por Fernando Pacheco Veríssimo
Oftalmologista

Em

A Federação Internacional de Diabetes (IDF, na sigla em inglês) divulgou em sua 10ª edição do Atlas de Diabetes que 18 milhões de brasileiros têm pré-diabetes. Desse total, 75% podem desenvolver o tipo 2 da doença em um prazo de dois anos. O diabetes tipo 2 é uma doença crônica, onde o paciente apresenta aumento da glicemia (açúcar no sangue). Isso ocorre porque o pâncreas não consegue produzir insulina na quantidade ou qualidade suficiente.

Ao lado da Organização Mundial da Saúde, a IDF criou o Dia Mundial do Diabetes que acontece desde 1991 todo dia 14 de novembro. O foco da data é alertar sobre os riscos da doença, quais formas de prevenir e, este ano em especial, ressaltar os números, um aumento de 16% na prevalência da doença. Em dois anos (o último levantamento foi realizado em 2019) o mundo ganhou mais 74 milhões de portadores. Assustador!

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

Doença silenciosa, porém, perigosa, o diabetes atinge cerca de 7,4% da população brasileira, sendo a principal causa de cegueira em pessoas em idade produtiva – entre 20 e 60 anos de idade, de acordo com dados do Ministério da Saúde. A retinopatia diabética é a primeira causa da perda de visão em adultos de 20 a 65 anos, segundo dados da Sociedade Brasileira de Oftalmologia (SBO). Cerca de uma a cada três pessoas diagnosticadas com diabetes têm algum grau de retinopatia diabética. E uma a cada dez pessoas evolui com o comprometimento grave da visão. A prevalência de qualquer grau de retinopatia em pessoas com diabetes é de 35% enquanto que a proliferativa é de 7%, de acordo com a SBO.

Caracterizada por alterações nos vasos sanguíneos da retina, a retinopatia diabética se apresenta por meio de lesões ou edemas que podem causar desde pequenos sangramentos até a redução e a perda da visão. Pequenas hemorragias e inchaços na retina, bem como deslocamento na mesma, hemorragias vítreas (sangramento dentro do globo ocular) e até cegueira total constituem o quadro de evolução da retinopatia diabética.
Cada estágio da doença tem suas características específicas. Na fase avançada do diabetes, pode ocorrer o deslocamento da retina que é causado pelo crescimento desordenado de vasos sanguíneos e de membranas.

A falta de informação e conhecimento sobre os riscos que o diabetes pode causar na visão é um fator de grande preocupação. Os números dessa pesquisa são preocupantes, sobretudo a parte sobre o desconhecimento sobre as doenças na visão que o diabetes pode causar. O problema ocorre quando os níveis de glicose no sangue estão muito elevados, o que propicia dilatações e rompimentos das veias. A pessoa passa a ver pontos ou manchas fluentes – conhecidas como moscas volantes –, tem dificuldade de distinguir cores e enxergar à noite.

Para evitar a retinopatia, é fundamental que as pessoas diabéticas consigam estabilizar o nível de glicose no sangue. A prudência é a melhor escolha, com uma dieta saudável, prática regular de atividades físicas e evitar o consumo de álcool, tabaco e outras drogas. A alimentação é uma aliada no cuidado com a doença e no controle da glicose. Por isso é sempre bom evitar o açúcar, massas, excesso de frutas e sucos de frutas e refrigerantes! E o leite também deve ser evitado pelos diabéticos.