Os 10 maiores roubos da história

Confira a lista dos maiores roubos que chocaram a população ao longo da história

Por Lígia Saba 

No mundo dos grandes roubos, não são apenas os seres humanos que estão envolvidos. Até na mitologia grega ou roubos incitavam brigas e discórdias entre os deuses. Autólico, filho de Hermes, era conhecido como o Príncipe dos Ladrões, chegando até a furtar o grande Zeus. Apesar de ninguém gostar dos ladrões, muitos são fascinados por história de golpes, e tramoias mirabolantes, seja no cinema, na literatura ou na vida real. Quando  os criminosos mais inteligentes se juntam para planejar suas próximas ações ilícitas, os resultados são catastróficos. Milhões em notas, diamantes e barras de ouro, grandes obras de arte etc já foram roubados em diferentes épocas e em diferentes partes do mundo. Preparamos uma lista com 10 dos maiores roubos da história, vem conferi!

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

10. Assalto a Herodes

Em 44 a.c., na Judeia, um golpe limpou o cofre do governador Herodes. Hezekiah ben Garon, autor do plano, era líder dos zelotes, o partido extremista judaico. Ele e seu bando enganaram os guardas, disfarçando-se de pastores, e roubaram a carga de prata que estava prometida a Cássio, um dos conspiradores no assassinato de Júlio César.

9. Roubo do  Juízo Final

Em 1473, a pintura “O Juízo Final”, de Hans Memling, foi roubada do navio que a transportava dos Países Baixos para Florença, quando a embarcação foi rendida pelo capitão Pawel Beneke. Misteriosamente, a obra apareceu na Catedral de Gdansk, na Polônia, gerando um incidente diplomático. O Vaticano mediou a discussão e o quadro permaneceu na Polônia. Foi o primeiro caso ilustre de roubo de arte no Ocidente.

8. Roubo da Bíblia do Diabo

A Bíblia do Diabo foi escrita por um monge beneditino no século 13, que teria feito pacto com o demônio para terminá-la. Com 92 cm de altura, 50 cm de largura e mais de 70 kg, ela foi roubada em Praga durante a Guerra dos Trinta Anos, como um espólio de guerra, por mercenários do rei sueco Karl VIII. Até hoje, a obra permanece na Suécia.

7. De ladrão a herói

Disfarçado de funcionário do Louvre, o pintor Vincenzo Peruggia roubou o quadro “Monalisa”, em 1911. Entre os suspeitos estavam o pintor Pablo Picasso e o poeta Guillaume Apollinaire, Peruggia só foi descoberto em 1913. Sua motivação era patriótica: queria que a obra voltasse à Itália. A pena de Vincenzo foi leve e os jornais italianos o trataram como herói.

6. Roubo ao distrito dos diamantes de Antuérpia 

Uma gangue italiana, chamada Escola de Turim, planejou durante um ano e meio o roubo ao Distrito dos Diamantes de Antuérpia, na Bélgica. Leonardo Notarbartolo e seu grupo estudaram a planta do local, clonaram chaves eletrônicas e descobriram como passar despercebidos. Em 2003, o bando limpou 123 dos 160 cofres, contendo o equivalente a US$ 100 milhões em pedras.

5. Roubo ao Banco Central do Iraque

Um dos maiores roubos a um banco, da história mundial é provavelmente um dos mais simples. Pouco antes de os americanos bombardearem Bagdá, em 2003, Qusai, filho de Saddam Hussein, se dirigiu ao Banco Central do Iraque com um documento assinado pelo próprio Saddam, em que ele exigia retirar seu dinheiro (aproximadamente US$ 1 bilhão). Como o pedido de saque foi do próprio Saddam Hussein, não houve como os funcionários do banco não aceitarem a requisição. Suspeita-se que todo o dinheiro equivalia na época a um quarto da riqueza total do país. Felizmente, US$ 650 milhões foram recuperados posteriormente, porém o restante do dinheiro, US$ 350 milhões, jamais foi encontrado.

4. Museu de Boston 

Em março de 1990, dois homens vestidos de policiais convenceram dois inexperientes guardas do Museu de Boston a entrar no local para que eles pudessem acalmar um tipo de “perturbação” que estava ocorrendo. Quando entraram no lugar, os dois ladrões conseguiram algemar os seguranças e passaram mais de uma hora selecionando doze peças de arte para levar. Entre as pinturas roubadas, estavam três Rembrandt e um Vermeer, o valor total dos quadros roubados foi de aproximadamente US$ 300 milhões.  O caso não foi solucionado até hoje, e o governo americano paga US$ 5 milhões para quem tiver pistas dos ladrões ou do paradeiro dos quadros.

3. Museu Green Vault 

Em novembro de 2019, a Alemanha vivenciou o que pode ser considerado um dos maiores roubos da história: cerca de 1 bilhão de euros em artefatos históricos foram levados do Museu Green Vault. O local foi invadido por criminosos que, após atearem fogo em uma ponte próxima ao museu, conseguiram danificar o sistema de energia elétrica da região e adentraram na instituição. Na época, a direção do Green Vault revelou à imprensa alemã que mais de 110 objetos foram roubados, entre diamantes, rubis e esmeraldas.

2. Crime em Cannes

Um homem, com o rosto coberto por uma máscara e utilizando luvas nas mãos, entrou armado em uma exposição da Joalheria Laviev e roubou 72 peças que estavam no local. O crime aconteceu em 2013 e, até hoje, os itens não foram recuperados. Na época, o prejuízo foi avaliado em US$ 128 milhões, o equivalente a mais de R$ 673 milhões.

1.  Roubo do Aeroporto Internacional John F. Kennedy

Em 1978, um grupo de assaltantes invadiu o Aeroporto Internacional John Kennedy, em Nova York, e arrombaram um cofre da companhia aérea alemã Lufthansa. Entre os objetos roubados estavam joias e dinheiro em espécie, avaliados em US$ 21 milhões de dólares, cerca de R$ 110 milhões.

Tags: