Pablo Marçal é proibido pela justiça de fazer expedições, após arriscar a vida de pessoas

A decisão foi tomada na última sexta-feira (14) e foi assinada pela juíza Rafaela Assumpção Cardoso Glioche

Um decisão tomada pela justiça proíbe que o coach Pablo Marçal, que colocou um grupo de pessoas em perigo durante uma expedição no Pico dos Marins, realize atividades em picos, montanhas ou espaços da natureza sem autorização da polícia ou de órgãos municipais.

A decisão foi tomada na última sexta-feira (14) e foi assinada pela juíza Rafaela Assumpção Cardoso Glioche. A medida cautelar foi tomada após um pedido do MP. A defesa do Coach pode recorrer, em um trecho  da decisão judicial, que foi publicado pelo G1 Vale do Paraíba e Região, o texto reforça que Pablo Marçal não poderá usar como pretexto sua atividade de coach ou programas motivacionais para se realizar expedições, como a que aconteceu o resgate do corpo de bombeiros.

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

Resgate na montanha

No dia 5 de janeiro, os bombeiros se mobilizaram por nove horas para realizar o resgate de 32 pessoas que subiram ao Pico dos Marins sob a liderança do influenciador. Inicialmente mais de 60 pessoas praticavam da ação, a maioria das pessoas eram funcionários de Pablo, entretanto, parte da equipe desistiu com a orientação dos guias de que a subida seria arriscada.

LEIA TAMBÉM

• Vídeo: O que aconteceu com promoter que agrediu ex-noiva, em Goiânia• Decisão judicial pode gerar efeito cascata em Goiás com postos sem frentistas• Vídeo: Bombeiros resgatam 43 cavalos em lago de Niquelândia

A defesa civil havia feito um alerta para chuvas fortes na região, com ventos de até 80km/h. Na ação, que foi filmada e compartilhada em suas redes, o coach aparece ignorando as recomendações e debochando das pessoas que deixaram a ‘expedição’ alegando que era uma limitação de mente.

Na madrugada, a chuva persistiu e o grupo teve as barracas rasgadas e alagadas. O corpo de bombeiros foi acionado, segundo o órgão público, foram mobilizadas seis pessoas na madrugada para que o resgate acontecesse. O corpo de bombeiros classificou a ação como irresponsável.

Tags: