Para ligar novamente o acelerador, Atlético-GO tem duelo com o Ceará

Dragão está há cinco jogos sem vencer, ameaçado pelo perigo do rebaixamento

Com a reta final da Série A se aproximando, o Atlético-GO precisa pisar o pé no acelerador para não se afundar na zona de rebaixamento. No momento, a equipe goiana está há cinco jogos com jejum de triunfos, sem sequer ter marcado um gol no período. A queda de rendimento colocou o time na 16ª posição da tabela de classificação. Para iniciar uma reabilitação, o Dragão enfrenta o Ceará neste sábado (20), às 21h, no Estádio Antônio Accioly.

Na rodada passada, o rubro-negro contou com a sorte para permanecer fora do Z-4. Como o grupo não fez a sua parte no confronto com o América-MG, precisou torcer por um tropeço do Bahia diante do Sport. O Leão acabou superando o Tricolor de Aço por 1×0, mantendo os goianos três pontos à frente dos baianos. Porém, para continuar dependendo apenas de si, o Atlético-GO necessita de retomar o caminho das vitórias. No melhor cenário possível, o Dragão pode até mesmo finalizar a 34ª rodada na 12ª colocação, a depender de uma combinação de resultados. Para isso, o time precisa, em primeiro lugar, fazer a sua parte. Os torcedores que desejam apoiar o clube podem acessar informações sobre os ingressos por meio deste link.

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

Situação atual do Atlético-GO

Em 16º lugar, o Atlético-GO não balança as redes desde 25 de outubro, em um placar de 2×0 contra o Grêmio. Desde então, os goianos passaram zerados contra Sport, Flamengo, Palmeiras, Santos e América-MG. O próximo adversário é o Ceará, que vem bastante embalado após golear o rival Fortaleza por 4×0. Além disso, o Vozão está a quatro pontos do G-6, podendo brigar por uma vaga na Pré-Libertadores durante a reta final do Campeonato Brasileiro.

Para coroar, os nordestinos têm a quarta melhor defesa da Série A, empatados com Sport e São Paulo (33 gols sofridos cada). O Dragão, por outro lado, possui o segundo pior ataque da competição, com apenas 24 bolas na rede, um número inferior à média da já rebaixada Chapecoense.

Tags: