Polícia prende homem que fazia a filha refém no Jardim América

Um homem fez a filha, de apenas um ano e três meses, refém na noite de ontem (13), no setor Jardim América, em Goiânia. Segundo informações da polícia, Alex Santos Sousa, chegou a ameaçar a criança com uma faca em seu peito e dizia que iria matá-la para não poder ficar dela e de sua ex-companheira.

Equipes da Rotam e Bope foram acionadas e se deslocaram até o local. De acordo com a corporação, quando eles chegaram à residência, Alex já ameaçava a filha com a faca e a tinha como refém. O motivo seria um desentendimento com a ex-companheira, e mãe da criança, que não queria reatar o relacionamento.

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

Após o início das negociações, o homem se exaltou e colocou a filha sobre o chão, encostando a faca em seu peito, e afirmando que mataria a criança caso a mulher não voltasse para ele. Segundo a assessoria de imprensa da Polícia, após estes minutos de tensão, policiais da Rotam assumiram a negociação enquanto agentes do Bope se posicionaram taticamente caso fosse necessária alguma intervenção.

LEIA TAMBÉM

• Vídeo: Homem vai comemorar aniversário e tranca e esposa e cunhado, em Goiânia• Homem que matou ex-sogro em Goiânia pode se entregar a qualquer momento• Torres nega vazamento de informações sobre operação da PF a Bolsonaro

Um policial militar, a paisana, se passou por um advogado e conseguiu acalmar Alex, que ainda continuava com a criança no colo e a faca em ameaça. Mais de duas horas após o início da negociação, as equipes conseguiram convencer o homem a entregar a criança e se posicionaram para recebê-la das mãos de Alex. Porém, o homem se exaltou novamente e não queria mais cumprir o acordo, ameaçando novamente a criança com a faca, momento que as equipes policiais militares o imobilizaram e resgataram a criança das mãos pai, que já possui antecedentes criminais.

Alex foi conduzido até a Delegacia da Mulher, onde foi autuado em prisão em flagrante por ameaça e cárcere privado qualificado.

A companheira do homem e mãe da criança informou aos agentes que o suspeito já havia cometido as mesmas ameaças em dezembro de 2016 no estado do Tocantins, fazendo com que a Justiça do Estado concedesse medidas protetivas à mulher, porém, o casal voltou com o relacionamento pouco tempo depois.

Tags: