Presidente dos EUA ameaça impor sansões pessoais a Putin caso a Rússia invada a Ucrânia

A ameaça ocorre em meio ao acumulo de tropas do exercito russo e da Otan perto da fronteira da Ucrânia

Nesta terça-feira (25), o Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, afirmou durante um pronunciamento que considera impor sanções pessoais ao presidente da Rússia, Vladimir Putin, caso o país europeu invada a Ucrânia, desencadeando um conflito.

Em resposta, o governo russo afirmou que qualquer medida contra Putin seria politicamente destrutiva, mas não dolorosa. O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, se pronunciou neste quarta-feira (26) dizendo que os políticos dos EUA que falam sobre possíveis sanções pessoais contra o presidente russo não têm conhecimento especializado suficiente sobre o assunto.

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

Conflito

LEIA TAMBÉM

• Para Putin, Ocidente sacrifica o mundo para manter dominação global• Ex-policial é preso pela segunda vez por ameaçar delegados de Goiás• Deputado conservador do EUA aparece nu em vídeo com outro homem

A ameaça dos EUA ocorre em meio à escalada de tensão no leste europeu, com a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) posicionando tropas e navios na região, em resposta ao acúmulo de tropas russas e exercícios militares perto de sua fronteira com a Ucrânia. Entretanto, a Rússia diz que não planeja invadir a Ucrânia e sim evitar que o país faça parte da Otan.

A Otan é uma aliança político-militar dos EUA e do Canadá com países europeus que foi fundada em 1949, durante a Guerra Fria. O grupo foi formado para inibir o avanço da União Soviética na Europa e para proteger mutuamente os países-membros, já que pelo tratado, se um país membro for atacado os demais são obrigados a reagir.

Tags: