Jornal Diário do Estado

Programa de Educação Profissional e Tecnológica do Governo de Goiás amplia acesso a profissões

Estudo do Banco Mundial aponta uma das profissões contempladas por curso do Governo Estadual como uma das essenciais para o futuro. Formação já tem mais de 2.000 inscritos

A Rede Estadual de Educação tem, no ano de 2024, uma nova proposta de Educação Profissional e Tecnológica focada em uma profissão que vai estar em alta nos próximos anos. É o programa Jornada para o Futuro, desenvolvido pelas Secretarias de Estado da Educação (Seduc) e de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) e que oferta o curso de “Desenvolvimento web e Cibersegurança” aos estudantes do Ensino Médio em Tempo Integral.

O estudo “O Brasil do Futuro: Rumo à Produtividade, Inclusão e Sustentabilidade”, divulgado pelo Banco Mundial em 2023, apresenta o desenvolvimento web como uma das profissões do futuro. Além disso, dados do LinkedIn (rede social voltada para o mundo profissional) demonstram que o desenvolvimento web, o marketing digital e a publicidade estão entre as qualificações mais solicitadas por empregadores.

Isso indica que, com a nova proposta do Governo Estadual, os jovens conquistarão uma qualificação alinhada com o mercado e que facilitará a inserção no mundo do trabalho no futuro.

Jornada para o Futuro

Lançado em novembro, o Jornada para o Futuro foi implementado de forma piloto em 14 Centros de Ensino em Período Integral (CEPIs) no ano letivo de 2024, em conjunto com as Escolas do Futuro de Goiás (EFGs). “Nosso estado se preparou para este momento. O governador Ronaldo Caiado exige de seus colaboradores a excelência e temos escolas em perfeitas condições. E também as Escolas do Futuro, que têm quase R$ 10 milhões em equipamentos de alta qualidade, cada uma. Então, apostamos na tecnologia para qualificar nossos jovens e prepará-los para o futuro”, afirmou o vice-governador Daniel Vilela à época do lançamento.

Com a nova grade curricular, os alunos das unidades onde o projeto-piloto foi implantado já sairão com o diploma de curso ao concluírem o Ensino Médio. “Pesquisas mostram que profissionais que cursaram o ensino médio técnico têm, em média, salários quase um terço maiores do que aqueles que possuem apenas o ensino médio tradicional. Então, acreditamos no ensino técnico, que é algo muito forte em países mais desenvolvidos, pois queremos um futuro melhor para nossos estudantes”, ressalta o titular da Secti, José Frederico Lyra Netto.

Já a secretária de Educação, Fátima Gavioli, destaca a importância do programa para o Ensino Médio em Tempo Integral: “Através desse programa, surge uma oportunidade muito forte para a educação integral. A Secti vai para dentro do colégio de tempo integral levar formação, informação, capacitação, preparo. E muitos alunos também irão para as Escolas do Futuro”.

A proposta começou a ser implementada a partir do mês de janeiro, nos 14 Centros de Ensino em Período Integral (Cepis):

• Cepi Divino Pai Eterno, em Trindade.
• Cepi Dom Veloso, em Itumbiara.
• Cepi Presidente Castelo Branco, em Bonfinópolis.
• Cepi Professor Joaquim Carvalho Ferreira, em Goiânia.
• Cepi Deputado José de Assis, em Goiânia.
• Cepi Professor José Pascoal, em Silvânia.
• Cepi Pedro Vieira Januário, em Bela Vista de Goiás.
• Cepi Raimundo Santana Amaral, em Rubiataba.
• Cepi Barão do Rio Branco, em Palmeiras.
• Cepi José de Assis, em Santo Antônio do Descoberto.
• Cepi Dom Eric James Deitchman, em Mineiros.
• Cepi Buriti Sereno Garden, em Aparecida de Goiânia.
• Cepi Jayme Câmara, em Goiânia.
• Cepi Marajó, em Valparaíso de Goiás.