Radar: Saiu do espeto, cai na brasa

A ex-deputada Iris Araújo continua com a corda toda no twitter. Ontem, ela postou a seguinte mensagem: “Não está fácil para o PMDB fazer alianças para 2018: de um lado, o PT; de outro, o PSDB.” E concluiu: “Um passo em falso pode fazer ruir candidaturas.”

De volta ao Brasil

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

O governador Marconi Perillo não conseguiu chegar de São Paulo ontem a tempo de participar da solenidade da Secima, ao lado de Vilmar Rocha (PSD).

LEIA TAMBÉM

• Collor se ‘emociona’ ao falar de Bolsonaro e vídeo viraliza• Goinfra terá de justificar instalação de radares com comprovação de estudo técnico• Bolsonaro ainda não cumprimentou novo presidente da Colômbia

Banho de sol

Vilmar Rocha apareceu com um bronzeado de fazer inveja a qualquer mulata de carnaval. Um repórter brincou: “O senhor está queimado?”. “É o sol da praça pública”, atravessou.

Ausentes

Enforcaram a sessão de ontem das Assembleia Legislativa os deputados Júlio da Retífica, Manoel de Oliveira e Victor Priori, todos do PSDB; Sérgio Bravo (Pros)  e Marlúcio Pereira (PSB).

Entendido!

Do deputado Francisco Júnior, sobre o comportamento político do PSD a partir de agora: “Vamos fazer uma situação responsável”.

Piada pronta

Na solenidade da Secima, sem a presença de Marconi e José Eliton, o coral da Saneago, sob olhares atentos de Vilmar Rocha, cantou: “Se Anália não quiser ir, eu vou, eu vou, eu vou”.

Petrodólares

Pelo menos duas coisas impressionaram o presidente da Assembleia Legislativa, José Vitti (PSDB), na missão comercial ao Oriente Médio: o interesse pelo Brasil e a montanha de dinheiro dos fundos soberanos.

Novas fronteiras

Com um olhar clínico de empresário, Vitti diz ter enxergado um mercado promissor para a entrada de produtos do agronegócio goiano.

Alô, Daniel Vilela!

Novo recado ao PMDB assinado por Dona Iris, que é mulher do prefeito Iris Rezende: “Não faço parte da Executiva do partido que ajudei a criar, mas antes de qualquer atitude é bom ouvir os de casa.”

Controle total

Fonte próxima ao prefeito de Goiânia, Iris Rezende, revela que com a economia de guerra que implantou no Paço Municipal, o prefeito já conseguiu economizar R$ 40 milhões.

O sonho não acabou

Empossado na vaga de do deputado Zé Antônio (PTB), que se elegeu prefeito de Itumbiara, o tucano Daniel Messac tem se pautado pela discrição em plenário. Aos amigos, ele revela que ainda mantém o sonho de virar conselheiro do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM).

Meia volta, volver!

Sandro Mabel recuou no pedido de demissão do cargo de assessor sem pasta do residente Michel Temer.  O ex-deputado goiano foi denunciado como o responsável por inserir emenda em uma Medida Provisória para atender aos interesses de um empresário, prática comum e lucrativa, um derivativo do poder das assinaturas em Brasília.

Transporte coletivo

O vereador Lucas Kitão (PSL)  propôs ontem, na Câmara Municipal de Goiânia, criação de  frente parlamentar para sugerir soluções ao transporte coletivo.

 Fogo amigo

Ontem, na Câmara Municipal, o vereador Clécio Alves (PMDB) reclamou do Samu. Disse que a sua mãe sofreu uma fratura no fêmur e foi mal atendida.

O pepino é seu

O que se fala em Brasília é que o procurador Rodrigo Janot fará a lista de políticos citados na Lava Jato, mas quem decide sobre divulgação é o ministro Edson Fachin.

Inhumas e outras

Ex-prefeito de Inhumas, José Essado (foto) voltou às lides peemedebistas. Mostra-se entusiasmado com a possibilidade de o PMDB disputar o Governo de Goiás em 2018 com nome próprio e cita Daniel Vilela como boa opção para suceder o tucano Marconi Perillo. Com relação ao seu projeto político,  Essado não titubeia: já está em campanha pela Assembleia Legislativa.

Questão de justiça

Mesmo com atraso, vale registrar pesar pela morte de Edgard Lourencini, ex-Superintendente Executivo de Desenvolvimento e Assistência Social da Secretaria Cidadã. Vítima de câncer, ele deixou muitos admiradores, passou por várias secretarias de estado na década de 90, serviu aos governos de Henrique Santillo e Marconi Perillo, comandou o Programa Renda Cidadã e atuou como secretário de Transferência de Renda, em Brasília.  Um gestor simples, discreto e eficiente.

Tags: