Ronaldo Caiado cria secretaria para reduzir impactos negativos causados pela pandemia

O intuito para a criação da pasta foi o incremento para a renda e a geração de empregos

Além de milhões de mortes e infecções, a pandemia do novo coronavírus trouxe um cenário de crise econômica e sanitária, escassez de produtos e serviços, e imprevisibilidade sobre o futuro. Em 04 de agosto de 2020, foi criada a Secretaria de Estado da Retomada.

A secretaria foi criada após a sanção de lei pelo governador Ronaldo Caiado. A nova pasta surgiu com a responsabilidade de abrandar os impactos negativos da crise e buscar alternativas para o incremento da renda e geração de empregos, com foco, principalmente, na parcela da população mais vulnerável.

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

“Nossa pauta é estarmos à frente dos problemas que já sabemos que vamos enfrentar, que são o desemprego e a queda na capacidade de renda das pessoas. Este é o objetivo”, disse o governador. “A Retomada, hoje, é a secretaria que tem o foco mais importante do governo no sentido de que todas as outras guardarão uma política de apoio e de sustentação aos goianos que foram, do ponto de vista econômico e social, atingidos pela Covid-19”, reforçou.

LEIA TAMBÉM

• Nome de Izaura Cardoso, esposa de Vanderlan, ganha força para vice de Vitor Hugo• Últimos dias do processo seletivo de profissionais para Secretaria Estadual de Esportes • Imunização contra Covid, Influenza e Sarampo continua neste sábado,14, em Goiânia

Cerveja de Mandioca

Em interação com a Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), Gabinete de Políticas Sociai (GPS) e Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária (Emater), a Retomada teve como primeira ação, a promoção de parcerias com cervejarias de renome como Ambev e Colombina para que a mandioca cultivada por pequenos produtores, principalmente do Nordeste goiano, fosse adquirida, servindo de matéria-prima para a criação de novas bebidas.

A ampliação do projeto Cerveja de Mandioca, desenvolvido por meio da parceria entre o Governo de Goiás e a cervejaria Ambev será ampliada// Foto: Secom

O pagamento é realizado imediatamente ao fim da colheita. Hoje, a tonelada da mandioca em Goiás tem o valor de R$ 920, considerado o segundo maior do Brasil, atrás apenas do Maranhão. Antes o destino final do tubérculo plantado era incerto para os produtores, assim como a renda, uma vez que, por falta de compradores ativos, os produtos eram, às vezes, descartados.

Produção de mais empregos e créditos

Até o ano de 2019, a média mensal de oferta de vagas de emprego formal, no Estado, girava em torno de 350 e mesmo assim, muitas não eram preenchidas, em razão da falta de qualificação profissional dos candidatos.

Com a implantação do programa Mais Empregos, o número de vagas mensais disponibilizadas aumentou mais de 1.100%, chegando à marca de 4 mil oportunidades. Além disso, o programa oferece cursos profissionalizantes a interessados em obter qualificação.

Já para micro e pequenos empreendedores, a gestão do governador Ronaldo Caiado colocou em prática o programa Mais Crédito. O público-alvo são empresas que, em governos anteriores, não receberam incentivos para se desenvolver e foram excluídas das linhas de financiamento.

Pelo programa, atualmente, empreendedores podem negociar dívidas de maneira extrajudicial e conseguir acesso ao crédito de forma facilitada, inclusive com opção de juro zero ou sem necessidade de aval.

Colégios Tecnológicos do Estado de Goiás

Antigamente chamados de Institutos Tecnológicos do Estado de Goiás (Itegos), os atuais Colégios Tecnológicos do Estado de Goiás (Cotecs) eram geridos por várias Organizações Sociais (OSs) e estavam sob responsabilidade de diferentes pastas que não se comunicavam entre si, assim como o gerenciamento de vagas de emprego, que não era centralizado. Dessa forma, sem interação, os cursos disponibilizados, por vezes, não atendiam a demanda do mercado de trabalho.

A atual gestão mudou não só o nome das 17 unidades, mas os Cotecs são administrados pela Universidade Federal de Goiás (UFG). A Secretaria de Estado da Retomada conectou os colégios ao programa Mais Empregos, a fim de oferecer qualificação alinhada às oportunidades de trabalho, com análise das necessidades do mercado, para a oferta de cursos.

Empresas interessadas podem solicitar, ainda, cursos personalizados junto aos Cotecs, com o incentivo de avaliar a contratação de todas as pessoas que receberem certificados. Para evitar a evasão e garantir a capacitação do, emprego e renda, o Governo de Goiás criou a Bolsa Qualificação.

O auxílio no valor de R$ 250 é disponibilizado para estudantes de cursos profissionalizantes nos Cotecs, em situação de vulnerabilidade social, integrantes do programa Goiás Social.

Promoção de políticas públicas

Em gestões passadas não houve interesse em formular ações e iniciativas voltadas, especificamente, para as cooperativas. Na atual gestão isso mudou, atualmente, o Governo de Goiás tem promovido políticas públicas de incentivo ao cooperativismo, além da constituição e o fortalecimento de cooperativas por meio de uma incubadora, a IncubaCoop, que auxilia grupos a formarem uma entidade.

Ainda é disponibilizado o benefício que oferece desconto de 80% no valor do arquivamento de atos constitutivos de cooperativas na Junta Comercial do Estado de Goiás (Juceg).

“Nossa diferença é que governamos o Estado onde a gestão é feita com espírito público. Todos os homens e mulheres que compõem o governo têm dois órgãos que funcionam entrelaçados, muito fortes, no planejamento do Governo de Goiás: o cérebro e o coração”, definiu o governador Ronaldo Caiado.

Caravana da Retomada

Para lidar com as necessidades específicas de cada região do estado em meio à pandemia, a Retomada promove o levantamento, desde janeiro de 2021, das demandas e potencialidades dos municípios por meio da Caravana da Retomada.

A pasta viaja de cidade em cidade para conhecer, in loco, o que cada lugar e comunidade precisa. Desde seu início, a caravana já vistoriou 60 municípios e atendeu diretamente mais de 6 mil pessoas.

Em gestões anteriores não havia mapeamento sobre a produção do artesanato goiano. Hoje, isso é feito por meio do Sistema do Artesanato de Goiás (SAG), que permitiu a criação de uma cartilha para fomentar o turismo vinculado à atividade. Os profissionais foram identificados e cadastrados para obterem a Carteira do Artesão, outra novidade, que facilita acesso a dispositivos de divulgação oferecidos por parte do Estado.

Os governos anteriores abandonaram o mapeamento e acompanhamento dos Arranjos Produtivos Locais, conjuntos de empresas e empreendimentos que atuam em uma mesma localidade e mantêm vínculos entre si, conhecidos pela sigla APL.

A atual gestão do Governo de Goiás, sob o comando do governador Ronaldo Caiado, já identificou e recadastrou 22 APLs.

A identificação e o acompanhamento são importantes para o planejamento de ações e políticas públicas que contemplem as necessidades dos negócios.

Tags: