Safadão tenta se livrar de processo no STF por furar fila de vacina

Cantor, a esposa, uma funcionária e uma servidora pública recorrem de decisão alegando que não houve crime na aplicação de imunizante em 2021

O Supremo Tribunal Federal (STF) pode receber o processo que apura a irregularidades na aplicação de vacina contra Covid para o cantor Wesley Safadão, a esposa dele, Thyane Dantas, a assessora do famoso, Sabrina Tavares e a servidora da Secretaria Estadual de Saúde do Ceará, Jeanine Oliveira.

Informação divulgada no portal Notícias da TV nesta sexta (01) afirma que o quarteto apelou à instância máxima pedindo a anulação do caso. Segundo a defesa, não houve crime de peculato ou de corrupção passiva privilegiada. O caso ocorreu em 8 de julho do ano passado.

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

No dia, Safadão e a assessora receberam o imunizante em local diferente do agendado para eles enquanto a esposa do artista não agendou nem estava dentro da faixa etária dos aptos a receberem a vacina. Já a servidora responde pela aplicação em desconformidade com os critérios estabelecidos à época.

LEIA TAMBÉM

• Vacina contra gripe pode reduzir risco de Alzheimer em 40% dos casos• Ana Hickmann é processada por omissão com rede de franquias• Enfermeira é presa por vender atendimentos, cirurgias e vagas de UTI no DF

Eles vêm tentando reverter a situação desde antes do oferecimento da denúncia pelo Ministério Público do Ceará. O advogado deles ofereceu um acordo no qual o forrozeiro e a esposa pagariam 360 salários mínimos, cada um, e a funcionária dele, 25 salários mínimos para Sabrina, mas a proposta não foi aceita.

 

Tags: