Jornal Diário do Estado

Salário mínimo deveria ser de R$ 6,5 mil para atender necessidades básicas

Valor contemplaria atendimento a necessidades básicas de uma família formada por dois adultos e duas crianças. Referência na fórmula, cesta básica em Goiânia teve alta

A inflação em alta tem diminuído cada vez mais o poder de compra dos brasileiros. A população que recebe apenas salário mínimo deveria ter mensalmente R$ 6.547,58, para conseguir sustentar a família, conforme o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).O valor é cinco vezes maior do que o pago desde maio deste ano correspondente a R$ 1.320.

 

O valor de referência considera uma família de quatro pessoas – dois adultos e duas crianças – e os gastos básicos que devem ser arcados pelo salário mínimo, como aponta a Constituição Federal. Na lei, eles são moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e previdência social. 

 

A cesta básica é referência para análise do impacto no piso nacional de remuneração. Em Goiânia, o conjunto de alimentos já teve quatro reajustes neste ano. O mais recente foi em abril, sendo vendida a R$ 682,87, segundo a Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos (PNCBA).

 

De acordo com uma pesquisa da LCA Consultores baseada em dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 35,63% dos trabalhadores recebem até um salário mínimo no País.  rendimento médio da população é de R$ 2.787 no ano passado (aumento de 7% em 12 meses), indica o IBGE.

 

Desde a campanha eleitoral no ano passado, o presidente Lula defende o reajuste real do salário mínimo. O valor pode começar a ser reajustado com base no Produto Interno Bruto (PIB). “É a forma mais justa de você distribuir o crescimento da economia”, afirmou durante entrevista em fevereiro.

 

A mudança está sendo avaliada pelo petista, que deve se reunir com segmentos sociais e sindicalistas para discutir o assunto. Em entrevista recente, a ministra do Planejamento e Orçamento, Simone Tebet, declarou que a previsão é de R$ 1.389 de salário mínimo no próximo ano.  O aumento ainda não contempla aumento real porque inclui somente a correção pelo  Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) já prevista para dezembro deste ano.  

 

Média salarial dos brasileiros:

-35,63% recebem até um salário mínimo

-31,56% recebem de um a dois salários mínimos

-67,19%até dois salários mínimos

-32,81% ganham acima de dois salários mínimos

 

Fonte: LCA Consultores