Sérgio Reis organiza manifestação a favor de Bolsonaro e voto impresso

O protesto contará com a ajuda de caminhoneiro e deve ter duração de 72 horas

Através de vídeo publicado em suas redes sociais, o cantor Sérgio Reis anunciou que está organizando uma manifestação a favor do presidente Jair Bolsonaro. O ato está sendo organizado junto com movimento dos caminhoneiros e de agricultores e deve durar três antes, antecedendo o feriado de sete de setembro.

O ato é a favor de Bolsonaro e depende pautas como a destituição dos ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) e o voto impresso. Sérgio Reis diz que a manifestação ocorrera nos dias 4 a 6 de setembro, para não atrapalhar o desfile programado por Bolsonaro no dia 7, e que foco é a cidade de Brasília.

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

“Estamos fazendo um movimento para salvar o nosso país, uma coisa séria. Queremos fazer um movimento clássico, sem agressões, sem nada. Queremos dar um jeito, movimentar o país e salvar o nosso povo”, diz o sertanejo. “Estamos nos preparando judicialmente para fazer uma coia séria, para que o governo tome uma posição, que o exército tome uma posição, mas se o povo não tomar essa decisão não dá mais. Não aceito mais a situação que está o nosso país”, continua.

Em outro vídeo, o cantor fala que o protesto terá duração de 72 horas e transportes que não sejam caminhões serão impedidos de trafegar em diferentes cidades brasileiras. “O Brasil inteiro vai estar parado. Ninguém trafega, ninguém sai. Ônibus volta para trás com passageiros. Só vai passar polícia federal, ambulância, bombeiro e cargas perecíveis. Fora isso, ninguém anda no Brasil”, diz.

De acordo com o jornal Folha de S. Paulo, o ato organizado por Sérgio Reis está com dificuldade de receber apoio de caminhoneiros. “Nós não estamos nesse movimento, pois não existe pauta para a categoria. O que estão fazendo é politicagem e nada mais fora disso”, diz o presidente do Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas, Plínio Dias, em entrevista ao jornal.

Tags: