Supremo dos EUA reabilita partes do veto migratório de Trump

A Suprema Corte dos Estados Unidos concedeu nesta segunda-feira (26) uma vitória ao presidente Donald Trump, ao admitir o trâmite ao veto migratório destinado a proibir a entrada de refugiados e cidadãos de seis países de maioria muçulmana. Com a decisão dos juízes, o governo poderá negar a entrada de indivíduos que não tenham familiares em território americano ou que não tenham obtido previamente um posto de trabalho no país. A informação é da agência EFE.

Concretamente, em um documento de 13 páginas, o Supremo determinou que Trump poderá proibir o acesso de estrangeiros “que não tenham nenhuma relação genuína com uma pessoa ou uma entidade dos EUA”.

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

A decisão da justiça permitirá que entre em vigor uma das partes essenciais do veto migratório de Trump: a anulação, durante 120 dias, do programa de acolhida a refugiados, que por definição estão fugindo dos seus países de origem e não têm nenhuma relação com os EUA.

LEIA TAMBÉM

• Goiás mantém permissão para exigência de cartão de vacina contra Covid• Cinzas do cão Shurastey, morto em acidente nos EUA, chegam ao Brasil• Congresso derruba vetos de Bolsonaro às leis Aldir Blanc e Paulo Gustavo

A outra parte da iniciativa do presidente é a proibição da entrada nos EUA de pessoas de seis países de maioria muçulmana, Irã, Somália, Sudão, Síria, Iêmen e Líbia. A medida ficará parcialmente bloqueada, já que os nativos dessas nações que tenham familiares ou contratos de trabalho em território americano, continuarão com permissão para entrar.

O Supremo estudará a legalidade do veto durante o próximo período judicial, que começa na primeira segunda-feira de outubro e terminará em junho de 2018.

Fonte: Agência Brasil

Tags: