Home»Cotidiano»Vereadora quer Marginal Botafogo interditada

Problema é crônico e Prefeitura não tem material específico para fazer essa reparação

0
Shares
Pinterest Google+ Whatsapp

Patrícia Santana

A vereadora Sabrina Garcêz (PMD), usou a tribuna da Câmara Municipal na sessão de ontem para pedir interdição total e imediata da Marginal Botafogo. “A situação ali, nesse período chuvoso, exige das autoridades medidas drásticas de fechamento total para que sejam providenciadas a recuperação daquela via pública, para dar segurança aos usuários”, afirmou.

A parlamentar disse que discutiu o assunto em audiência pública com representantes do Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Goiás (CAU-GO), Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (Crea-GO), Secretaria Municipal de Trânsito (SMT), engenheiros, arquitetos e professores, onde foi sugerido a criação de um plano emergencial e a solução final para o problema da Marginal Botafogo.

“Pelo que ouvimos e debatemos, a situação da Marginal está insustentável. Só a interdição completa poder garantir uma solução para o problema. Ademais, essas interdições semanais são paliativas, não resolvem o caos no trânsito, bem como não vão evitar tragédias”, alertou. A vereadora ressalta que a prefeitura tem obrigação de garantir segurança à população.

Interdição total

De acordo com Sabrina e profissionais da área, a possibilidade de ocorrer um deslizamento completo da via é latente. Os vereadores da base do Prefeito na Casa reconheceram que o problema na Marginal é sério mas discordam de sua interdição total. O vereador Romário Policarpo (PTC), disse que a interdição total trará sérios problemas de mobilidade para os moradores da região Norte de Goiânia.

Paulo Magalhães, PSD, acredita que a situação se deve a uma política que privilegia o asfalto e “não cria pontos para escoamento das águas das chuvas”. Contrariando os colegas, Vinicíus Cirqueira (PROS), garante que a Secretaria de Infraestrutura (Seinfra) tem técnicos capacitados para resolver esse problema sem interdição da Marginal. “Trata-se de um problema crônico, de longos anos, que não teve uma manutenção efetiva. E a Prefeitura não tem material específico para fazer essa reparação”.

Newsletter do Jornal Diário do Estado – Assine já!

Comente á vontade!