Vereadores de São Simão pedem cassação de mandato do prefeito após denúncias de crimes sexuais

A votação foi na última segunda-feira (25) e 9 dos 11 vereadores votam a favor da cassação.

No fim da tarde da última segunda-feira (25), vereadores da Câmara Municipal de São Simão se reuniram em reunião extraordinária para votar pela cassação do prefeito da cidade. Francisco de Assis Peixoto (PSDB) foi denunciado pelo Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO) pelos crimes de importunação sexual e tentativa de adquirir e distribuir pornografia infantil.

A casa decidiu por 9 a 2 votos que o prefeito deveria ter seu mandato cassado. Todos os vereadores da cidade compareceram na reunião recomendada pela Comissão Processante de Impeachment. A comissão foi formada pelos vereadores Adriano Pimenta (PTB), Professor Fernando (DEM), Vilarinho (PSC) e teve como delegado Lucas Cavalcante.

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

Caso o Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO) aprove a decisão, o vice Fábio Capanema (PSDB) deve assumir a Prefeitura de forma definitiva. Atualmente, ele já está no cargo como interino. O prefeito foi preso em 28 de julho, mas, no dia 2 de setembro a defesa conseguiu que ele pudesse responder em liberdade, respeitando as condições apresentadas pela Justiça.

Denuncias e pedido de cassação

O pedido de impeachment foi feito pelo jornalista Luís Manuel Lima de Araújo, de 30 anos, após denunciar no Ministério Público (MP) que foi abusado quando era criança.

“Na primeira vez, eu estava cercado com meus amigos na piscina, brincando, conversando. Eu tinha 9 para 10 anos de idade, quando ele segurou minha mão por debaixo da água e levou minha mão até a sunga dele. E eu pude notar que ele estava excitado sexualmente”, disse.

Entretanto, outra denúncia que também chegou ao MP, foi a da mãe de uma adolescente que contou que o prefeito fez várias vídeo-chamadas com teor sexual.

“Ele fez outra videochamada, aí mostrando as partes íntimas dele. Teve outra videochamada, só que meu filho foi tão inteligente que ele gravou a chamada. Falei: ‘meu filho, isso é caso de polícia, não está certo’”, contou a mãe.

O adolescente ainda disse que logo após o término da ligação, o prefeito disse que queria colocar o “trem” dele no jovem e marcar encontro.