Jornal Diário do Estado

Vídeo: Criança que foi baleada na cabeça em briga de torcida, teve morte cerebral

João Vinícius, 3 anos, estava com o tio, Erick Luan Nunes da Silva, de 19 anos, quando foi atingido na noite do último sábado, 13.

O Hospital de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol) abriu nesta segunda-feira,15, um protocolo de morte cerebral do menino de 3 anos, que foi baleado durante briga no Jardim Cerrado I, em Goiânia. João Vinícius, estava com o tio, Erick Luan Nunes da Silva, de 19 anos, quando foi atingido na cabeça na noite do último sábado, 13. O jovem também se feriu, mas tem quadro de saúde estável.

Segundo o último boletim médico divulgado pela unidade de saúde, João Vinicius está internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), sedado, respirando com ajuda de aparelhos. Ainda segundo a assessoria do hospital, a família da criança foi informada sobre a abertura do protocolo de morte cerebral e que o diagnóstico deve ser confirmado após realização de exames ainda nesta segunda-feira, 15.

Criança é baleada na cabeça durante briga de torcida

De acordo com a Polícia Militar (PM), Erick, que é torcedor do Goiás, teria feito um rapaz retirar uma camisa do time rival. Na sequência, os indivíduos, identificados como, Israel Douglas, de 25 anos, Thiago Magalhães, de 28 anos, e Guilherme da Silva, de 24 anos, foram até ele com o intuito de vingar o ocorrido.

O rapaz e o sobrinho estavam andando na rua próximo a uma distribuidora, quando foram surpreendidos pelos agressores. Uma briga generalizada se formou (Veja o vídeo abaixo). Em seguida, Thiago teria disparado contra Erick e João Vinícius. Ambos foram socorridos e levados para o Hugol.

Os três criminosos foram presos horas após a tentativa de homicídio e confessaram o crime. Com eles, os policiais encontraram duas armas de fogo e drogas. Todos eles já possuem uma ampla ficha criminal.

Armas e drogas apreendidas com o suspeito. (Foto: Divulgação PM)

Apesar das justificativas, não está descartada a hipótese de que a briga foi motivada por acerto de contas por drogas. A Polícia Civil fica responsável por investigar o caso.

Vídeo da briga generalizada: