Vídeo: Gustavo Mendanha manda guarda civil retirar moradores na porrada em Aparecida

Questão de moradia na cidade de Aparecida de Goiânia foi resolvida com cassetetes da guarda civil metropolitana, para expulsar famílias no Independência Mansões.

Cerca de 30 famílias que foram despejadas de uma invasão no setor Independência Mansões, em Aparecida de Goiânia, na manhã desta segunda-feira (27) estão tentando reconstruir suas casas que foram destruídas pela prefeitura do município. “É aqui que a gente mora, aqui que a gente vai ficar (…) Estamos emendando lonas, fazendo barracas com pedaços de pau para as crianças dormirem essa noite ”, disse Diones Ferreira dos Santos, de 25 anos, líder das famílias que foram despejadas.

Segundo ele, os moradores que não estavam em casa no momento da desocupação perderam tudo. “A maioria conseguiu tirar suas coisas, mas as pessoas que estavam trabalhando perderam tudo. Eles passaram por cima das camas, panelas e comida. Não deixaram a gente tirar nada”, explicou.

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

Moradores no momento em que máquinas derrubavam casas/ Foto: reprodução

Ainda de acordo com o líder comunitário, a desocupação que começou por volta das 6 horas da manhã contou com ações violentas da Guarda Civil Metropolitana e da Policia Militar.

“Eles agrediram a gente, bateram com cassetetes. Tem muita gente machucada. Um senhor de mais de 50 anos foi parar no hospital. Eles também bateram em mulheres e crianças. Teve muita violência”, ressaltou.

Dione contou que até os alimentos foram destruídos. Ele também disse que apesar de saber que estão morando em um local proibido, muitos não têm para onde ir.

“A gente mora aqui, não temos lugar de morar. A maioria das pessoas aqui morava de aluguel, mas foram despejadas nessa pandemia. Então é muito difícil”, contou Dione.

Local da invasão com as casas destruídas/Foto: Reprodução

Está é a segunda vez que a área foi desocupada apenas neste mês. No último dia 18, a prefeitura também esteve no local para retirar as famílias. Em nota, a Procuradoria Geral do Município de Aparecida e a secretaria municipal de Planejamento e Regulação Urbana informaram que “evitaram, pela segunda vez neste mês, a ocupação de uma área – parte pública e parte particular – entre os bairros Riviera e Independência Mansões.”

Em nota, a Procuradoria disse que a área pública faz parte da Área de Preservação Ambiental Serra das Areias, e que é proibida a construção no local.

“A Procuradoria Geral do Município de Aparecida e a secretaria municipal de Planejamento e Regulação Urbana comunicam que evitaram, pela segunda vez neste mês, a ocupação de uma área – parte pública e parte particular – entre os bairros Riviera e Independência Mansões.

Os órgãos informam que parte da área pública compõe o zoneamento da Área de Preservação Ambiental Serra das Areias sendo então proibida edificações no local.

A Secretaria de Planejamento informa que no momento da ação, realizada no início desta segunda-feira, 27, haviam apenas estacas determinando a divisão das áreas e algumas barracas de lona, não havendo nenhum morador no local.

Os órgãos informam ainda que a área pública está sendo monitorada desde o início deste mês, afim de evitar a ocupação irregular e consequentemente o desordenamento urbano da cidade.

A Prefeitura esclarece também que as secretarias de Habitação e de Assistência Social estão atuando juntas no cadastramento das famílias que realmente necessitam de uma moradia. Os cadastros realizados pela secretaria de Habitação serão inseridos nos programas habitacionais como Minha Casa Verde, antigo Minha Casa Minha Vida, para que possam participar dos sorteios de moradias populares.”

Já sobre às agressões, a Secretária Municipal de Segurança Pública informou que a ação no local ocorreu de forma “pacifica” e que não houve agressões por parte da Guarda Civil Metropolitana.

“A secretaria Municipal de Segurança Pública informa que a ação ocorreu pacificamente, sem agressões ou truculência da parte dos GCMs e demais agentes que participaram da ação no local. Mas ressalta que a corregedoria da Guarda irá averiguar a denúncia dos invasores.”

Confira os vídeos:

 

Tags: