Vídeo: Segurança faz transferência de detentos para combater organizações criminosas

Polícias de Goiás também organizam força-tarefa após crimes na Casa de Prisão Provisória (CPP) de Aparecida de Goiânia

A movimentação de helicópteros e viaturas nas proximidades do presídio de Anápolis, a 55 km de Goiânia, chamou a atenção da população na manhã desta quinta-feira, 4. A ação faz parte de uma Operação integrada das Forças de Segurança de Goiás, Distrito Federal e também Federal para transferência de presos do Sistema Penitenciário Goiano.

Por meio de nota, a Diretoria Geral de Administração Penitenciária de Goiás (DGAP), informou que a troca ocorre para “manutenção do controle carcerário”. A medida ocorre após quatro mortes, duas fugas e uma tentativa de homicídio dentro da Casa de Prisão Provisória (CPP), no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia.

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

Força-Tarefa

Após sequência de crimes ocorridos na CPP de Aparecida, será assinado um acordo entre as polícias goianas para desarticular facções criminosas que ameaçam à ordem e à segurança pública. O prazo de vigência da união é de cinco anos, podendo ser quebrada ou prorrogada.

LEIA TAMBÉM

• Dia dos Pais: movimento em bares e restaurantes deve aumentar 30%• Goiás chega a marca de 60 casos confirmados de varíola dos macacos• Tendência nacional, mais lares goianos passam a ser chefiados por mulheres

O Acordo de Cooperação Técnica que cria a Força-Tarefa de Segurança Pública do Estado de Goiás, será assinado nesta sexta-feira, 5. Previsto para às 11 horas, o evento contará com a presença de autoridades da Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Departamento Penitenciário Nacional e do Governo do Estado de Goiás, representando a Secretaria de Segurança Pública, Polícia Civil, Polícia Militar e Diretoria Geral de Administração Penitenciária.

(Foto: Divulgação / PF)

Todas as equipes se comprometeram a colaborar, empenhando esforços para restabelecer a ordem e a segurança pública no estado de Goiás. Os órgãos vão compartilhar dados entre si. Com isso, a divulgação dos resultados dos trabalhos conjuntos serão sempre veiculadas e atribuídas à Força-Tarefa.

O prazo de vigência do acordo será de 5 (cinco) anos, podendo ser renovado ou rescindido, a depender do interesse dos partícipes, destacando-se que a aferição e a divulgação dos resultados dos trabalhos conjuntos serão sempre veiculadas e atribuídas à Força-Tarefa.

Tags: