“Vou voltar ao Senado para reescrever a minha história”, diz Demóstenes

“Não teria as mesmas conversas. Aprendi a lição: além de ser honesto, preciso parecer honesto. Acho que errei, peço perdão pelo meu erro, mas não cometi crime”

O ex-senador Demóstenes Torres (PTB) afirmou nesta sexta-feira (11), que apanhou muito tempo calado e que se sentia injustiçado por ser acusado sem ter como se defender. “Agora, a conversa é outra: nada ficou provado contra mim e saio às ruas com a cabeça erguida”, disse.

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram
De volta ao cenário político como pré-candidato a senador pela base aliada do governo, ele conta que desceu ao fundo do poço, expiou pecados e hoje mudou suas atitudes. “Não teria as mesmas conversas. Aprendi a lição: além de ser honesto, preciso parecer honesto. Acho que errei, peço perdão pelo meu erro, mas não cometi crime”, argumentou.

Demóstenes derrubou uma a uma todas as ações judicias contra ele. No mês passado, o Supremo Tribunal Federal (STF) restabeleceu os seus direitos políticos, o que assegurou elegibilidade já para o pleito de 2018. Ele se diz vítima de perseguição política e aponta o ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff como seus algozes. “Foi uma perseguição implacável, mas eu venci. Quem me perseguiu agora está na cadeia.” Filiado ao PTB, ele firma o pé de que somente o Senado consta de seu projeto político e nega qualquer interesse em disputar outros cargos. “Não desejo ser candidato a governador nem vice nem deputado. Eu saí do Senado e quero voltar para reescrever a minha história”, garantiu.

Tags: