Wanderson Mota é encontrado morto em presídio de Aparecida de Goiânia

Wanderson Mota Protácio era suspeito de três homicídios em Corumbá de Goiás

O caseiro Wanderson Mota Protácio ,21, foi encontrado morto na manhã desta terça-feira (18/1), em uma cela do Núcleo de Custódia, no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia. A informação foi confirmada pela Diretoria Geral de Administração Penitenciária (DGAP), que afirma que Wanderson tirou sua própria vida durante a madrugada. O caseiro foi preso suspeito de matar a mulher grávida, a enteada e um fazendeiro em 28 de novembro do ano passado, em Corumbá de Goiás, Entorno de Brasília.

Relembre o caso

Wanderson foi preso no dia 4 dezembro em Gameleira de Goiás, após uma fazendeira convencê-lo a se entregar. O caseiro esteve foragido por seis dias. Para a polícia, ele confessou ter matado a mulher grávida, a enteada e um fazendeiro. De acordo com a Polícia Civil, o caseiro ainda tentou estuprar uma mulher, como não conseguiu, ele bateu nela e atirou em seu ombro. A mesma fingiu estar morta, esperou ele ir embora e pediu socorro aos vizinhos. Ela foi levada para o Hospital de Urgências de Anápolis (Huana).

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

Ainda de acordo com a polícia, a ordem dos crimes foi: Primeiro, o suspeito matou a facadas, Ranieri Aranha Figueiró, de 21 anos (mulher dele). Em seguida, Geysa Aranha da Silva Rocha, de 2 anos e nove meses. Na sequência, roubou a arma de um vizinho e executou Roberto Clemente de Matos, de 73 anos, com um tiro na cabeça. Depois, tentou estuprar a mulher de 45 anos.

LEIA TAMBÉM

• Caso Wanderson: Audiência de Custódia é nesta tarde• Caso Wanderson: saiba quais crimes o caseiro cometeu• “Fica tranquilo que eu vou te ajudar”, disse mulher que convenceu Wanderson a se entregar à polícia

Posteriormente, Wanderson usou a caminhonete de Roberto para fugir, mas abandonou o veículo na GO-225 após um acidente. O carro foi achado na mesma noite pela polícia.

Anteriormente, em 2019, ele cometeu uma tentativa de feminicídio em Goianápolis. Em Patrocínio (MG), foi preso, ano passado, por latrocínio. Ele matou um taxista, a facadas, em São Gotardo, região do Triângulo Mineiro.

De acordo com o delegado Tibério Martins, Wanderson iria responder pelos crimes:

  • Duplo Homicídio qualificado (Feminicídio) – pena 12 a 30 anos de detenção;
  • Aborto (mulher estava grávida) – pena de 3 a 10 anos;
  • Latrocínio consumado – pena de 20 a 30 anos;
  • Latrocínio tentado – até 30 anos;
  • Furto qualificado (arma do patrão) – de 2 a 8 anos;
  • Tentativa de estupro – de 6 a 10 anos;
  •  Porte de arma – de 2 a 4 anos.

Fazendeira convenceu Wanderson a se entregar

Fazendeira Cindra Mara e Wanderson Mota / Foto: Divulgação PC

No dia 4 de dezembro, Wanderson Mota apontou uma arma para a fazendeira Cindra Mara, na região de Gameleira de Goiás. A mulher o convenceu a se entregar à polícia, depois de seis dias em fuga.

Em coletiva à imprensa, a mulher falou, emocionada, sobre o ocorrido. “Foi Deus que deu livramento para mim, meu marido e para os policiais”, comentou.

Por fim, ela disse que fez uma foto ao lado de Wanderson para provar à polícia que estava com o suspeito, já que havia possibilidade de denúncias falsas.

 

Nota DGAP

A propósito de informação solicitada, a Diretoria-Geral de Administração Penitenciária, por meio da Superintendência de Segurança Penitenciária, informa o que se segue:

– Na manhã desta terça-feira, 18/01, durante o procedimento de entrega do desjejum, os servidores do Núcleo de Custódia, no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, encontraram Wanderson Mota Protacio desacordado dentro da respectiva cela. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado e atestou o óbito do detento.

– O preso, que estava sozinho na cela, foi encontrado pendurado com um lençol no pescoço. Ele cumpria pena por homícidio.

– O ocorrido também foi repassado à Polícia Civil para as investigações pertinentes. O Instituto Médico Legal foi até o local para a retirada do corpo e demais procedimentos.

Goiânia, 18 de janeiro de 2022.

Diretoria-Geral de Administração Penitenciária
Comunicação Setorial

Tags: