Jornal Diário do Estado

Professores de Senador Canedo anunciam paralisação nesta quarta, 4

Victor Alves Pellozo, secretário municipal de educação, afirma que a paralisação não se justifica

Nesta quarta-feira, 4, os professores e servidores administrativos da rede municipal de educação do município de Senador Canedo paralisaram suas atividades em protesto em frente ao Paço Municipal. A paralisação acontece de forma independente pelos servidores e professores, visto que a representação sindical da categoria está impedida de liderar tais manifestações em razão de liminar que ameaça a aplicação de multa no valor de R$ 30 mil.

Os servidores e professores reivindicam plano de carreira, fim do aumento da carga horária de trabalho, reajuste no salários dos servidores administrativos, pagamento do piso salarial, melhores alimentos para os alunos e transparência na gestão do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

Além disso, os membros da categoria denunciam a medida da prefeitura em converter as horas-aula em hora-relógio, o que aumenta cinco horas/aulas a carga-horária dos professores, reduzindo o valor da hora-aula trabalhada, consequentemente. Os professores e servidores administrativos denunciam também o envio de circulares fora do horário comercial e com informações difusas sobre a ampliação da carga-horária.

No perfil oficial da Secretaria Municipal de Educação, Cultura e Turismo, Victor Alves Pellozo, chefe da pasta, afirma que a paralisação não se justifica, porque “atrapalha o andamento do ano letivo tanto para os servidores que estão paralisando e, principalmente, para os nossos 25 mil alunos”, declara.

Em sua alegação, a conversão das horas-aula em horas-relógio denunciada pela categoria consiste em “uma correção” que está seguindo a lei.