Jornal Diário do Estado

Filha de idoso morto em farmácia depõe contra ex-namorado por agressão

Felipe Gabriel Jardim Gonçalves, de 26 anos, suspeito de matar o ex-sogro a tiros também é investigado por ameaçar e agredir a ex-namorada

Os crimes envolvendo Felipe Gabriel Jardim Gonçalves, de 26 anos, prestes a completar uma semana preso, continuam sendo investigados. Nesta segunda-feira, 4, por exemplo, a ex-namorada do jovem, Kênnia Yanka Leão, de 26 anos, prestou depoimento na Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam) de Aparecida de Goiânia, para esclarer a relação tinha com o suspeito, visto que Felipe também é acusado pela vítima de ameaça e violência psicológica.

Durante o depoimento, Kênnia explicou que vivia uma dependência emocional por parte de Felipe, mesmo sendo alvo de agressões físicas e humilhações durante boa parte do relacionamento que durou cerca de um ano. A defesa do suspeito, entretanto, nega as afirmações da mulher.

Eles dizem que Felipe não ameaçou Kênnia e que o jovem teria matado o então sogro, João do Rosário Leão, 63 anos, durante um momento de fúria por causa do relacionamento conturbado que tinha com a vítima, mesmo as filmagens feitas pela mulher reforçarem as ameaças de morte feitas pelo investigado dias antes de matar o idoso.

Dependência

Para a delegada Cybelle Tristão, responsável pela investigação, ouvir Kênnia era essencial para determinar a relação dela com Felipe, uma vez que ela acusa o jovem que já responde dois processos por agressão doméstica de agredi-la fisicamente e humilhá-la. Segundo a delegada, é nítido a dependência emicional da vítima devido ao histórico da relação.

A denúncia de ameaça contra Kênnia foi realizada pelo seu pai, João do Rosário Leão, momentos antes de ser morto a tiros por Felipe. Segundo as investigações, após o jovem saber que o então sogro havia registrado um boletim de ocorrência contra ele, o jovem foi até a farmácia da qual o idoso era sócio e atirou várias vezes contra o policial civil aposentado. João chegou a ser socorrido, mas morreu depois de dar entrada em uma unidade de saúde.

O crime aconteceu no último dia 27. Depois de matar o idoso, Felipe fugiu para a casa de parentes, mas foi preso dois dias depois. O jovem passou por audiência de custódia, e teve a prisão mantida pela Justiça na última sexta-feira, 1º.