Prefeituras de Goiânia, Aparecida e Anápolis se mobilizam para atender população de rua

Apenas em Goiânia, cerca de 1,2 mil pessoas sem moradia fixa podem receber alimentos e agasalhos em dois abrigos da capital. Anápolis e Aparecida de Goiânia também prometem redobrar as estratégias de acolhimento

O frio chegou e muitas pessoas em situação de rua sofrem com as baixas temperaturas. Neste ano, os termômetros com mínimas bem atípicas para a época mobilizou as prefeituras das maiores cidades goianas a promoverem ações em prol dessa população. A mínima prevista para Goiânia deve chegar a 10ºC oficialmente, mas a sensação é de bem menos.

Na capital, dois abrigos devem assistir parte das 1,2 mil pessoas nessa condição. Eles recebem alimentação, higiene pessoal e pernoite com segurança. Algumas  comunidades terapêuticas parceiras da Prefeitura também devem oferecer abrigo e assistência. O trabalho inclui ainda a abordagem de rotina dos moradores de rua. Para atender o aumento da demanda, agasalhos, cobertores, meias e alimentos estão sendo arrecadados de forma emergencial.

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

A doação de  kits de cobertores e higiene pessoal começaram a ser distribuídos nesta semana em Aparecida de Goiânia. A ação ocorre anualmente, mas foi antecipada devido a previsão do tempo para os próximos dias. A doação teve ainda  lanches como bolachas e achocolatado quente.

LEIA TAMBÉM

• Vai pescar? Produtos apresentam variação de até 200%, em Goiânia• Goiás perde para o América e amarga a zona de rebaixamento• Com dupla ‘Lei do Ex’, Atlético-GO é derrotado pelo São Paulo

Um dos beneficiados, J.R.S., de 51 anos, ficou sabendo da frente fria que se aproxima e ficou preocupado. “Nós que estamos acostumados com o calor e eu sou magro, qualquer frio é um sofrimento. Essa ação da prefeitura ajuda muito”, comentou.

Na cidade de Anápolis, o Ginásio Carlos de Pina se tornou um alojamento temporário por causa da queda de temperaturas. O espaço tem capacidade para receber até 90 pessoas. A ideia é reforçar a quantidade de alojamentos que já existem de forma permanente no Centro POP, no Setor Central. A aproximadamente três mil cobertores foram arrecadados na Campanha do Agasalho deste ano  e serão entregues para pessoas em vulnerabilidade social e em situação de rua.

Tags: