Servidor do Senado Federal é preso com 2 mil arquivos de pornografia infantil

Segundo a PCDF, o servidor de 31 anos, teria baixado todos os arquivos de pornografia infantil em dois anos.

Um técnico administrativo do Senado Federal foi preso com 2 mil arquivos de pornografia infantil no celular. A prisão ocorreu nesta quarta-feira (26/1) no Distrito Federal, durante a segunda fase da Operação Downloader, deflagrada por agentes da Delegacia Especial de Repressão aos Crimes Cibernéticos (DRCC). A ação também contou com apoio do Instituto de Criminalística (IC) e da Divisão de Inteligência Política (Dipo).

Segundo a Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), o servidor de 31 anos, teria baixado todos os arquivos em dois anos. Mandados de busca e apreensão foram cumpridos na casa do suspeito. No local, os policiais encontram materiais pornográficos em um notebook e no celular. As apreensões resultaram na prisão em flagrante do suspeito.

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

A pena para o crime de armazenamento de imagens e vídeos de exploração sexual infantil pode chegar a 4 anos de prisão. Já a disponibilização deste material prevê pena de 6 anos por cada compartilhamento.

LEIA TAMBÉM

• Homem é preso com mais de 200 vídeos de pornografia infantil, em Planaltina• Alunas organizam protesto por segurança na UnB após dois casos de estupro• Caso Lázaro: militar goiano relembra operação que pôs fim à onda de terror

Na primeira fase da operação Downloader, um indivíduo foi preso em flagrante por armazenar cerca de 250 GB com cera de 2,5 mil arquivos relacionados à pedopornografia. Em depoimento, o suspeito confessou que assistia os vídeos por prazer pessoal. De acordo com os investigadores, as vítimas que aparecem nos vídeos e fotografias pornográficas são meninos e meninas, entre 4 e 10 anos.

Tags: