Suspeito de matar pastora em igreja de Goiânia irá passar por audiência de custódia

A pastora Odete Rosalina da Costa foi morte a golpes de barra de ferro, após ter a igreja invadida por Matheus que estava nu

O suspeito de matar a pastora Odete Rosalina da Costa, de 79 ano, deve passar por audiência de custódia neste sábado (15/1). Segundo o delegado responsável pelo caso, André Veloso, a expectativa é de que Matheus Macaubas, de 22 anos, continue preso.

Matheus matou a idosa com golpes de barra de ferro nesta sexta-feira (14), na Igreja Assembleia de Deus, no Residencial Kátia, em Goiânia. A mulher que morava e pastoreava no local era mãe do cantor gospel Delino Marçal, de 35 anos, ganhador do Grammy Latino Melhor Álbum de Música Cristã em Língua Portuguesa de 2019.

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

O suspeito invadiu o templo e matou Odete durante a madrugada, por volta das 5h. Ele invA pastora adiu o local nu e agrediu a pastora e um fiel, que faziam uma oração. Antes do crime, o jovem durante um surto tentou matar a esposa e a enteada, mas foi impedido pelo tio da vítima. Após a tentativa, Matheus caminhou pelado por cerca de 7 km até chegar na igreja.

LEIA TAMBÉM

• Homem é preso por atacar vizinha com foice após briga por lixo, em Goiânia• Romário Policarpo é internado com alteração arterial• Goiânia terá internet 5G a partir do dia 16 de agosto

O corpo da pastora foi encontrado caído na porta da igreja / Foto: Reprodução

Audiência

A audiência de custódia de Matheus ocorrerá em formato virtual e a expectativa é de que ele continue preso, de acordo com o delegado. O jovem deve ser ouvido pela polícia no início da semana. André Veloso, diz ainda que o laudo psiquiátrico de Matheus deverá ser anexado ao inquérito na Delegacia de Investigação de Homicídios (DIH). O objetivo é saber se o crime foi cometido em um contexto de consumo de drogas ou de surto psicótico (ou os dois).

Após ser preso, Matheus não quis passar seus dados pessoais, não respondeu a nenhuma pergunta do interrogatório e até se negou a vestir roupas, quando chegou para fazer exame no Instituto Médico Legal (IML). O jovem vai responder por homicídio qualificado por motivo fútil, além de lesão corporal e desacato contra os militares.

Cantor Delino Marçal e a mãe Odete / Foto: Reprodução
Tags: