Alemanha vai expulsar pessoas com pedido de asilo negado

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, informou que o país que acolheu mais de 1 milhão de imigrantes desde 2015, vai acelerar a expulsão de pessoas cujo pedido de asilo tenha sido negado. O anúncio foi feito nesta quinta-feira (09), depois de acordo negociado com os governos estaduais. “Discutimos as condições necessárias para continuar sendo um país que acolhe as pessoas que buscam proteção”, afirmou Merkel em entrevista. A informação é da Radio France Internationale (RFI).

A chanceler, que foi muito criticada por sua política de acolhimento, devido aos atentados e incidentes que ocorreram no país desde 2015, explicou que os candidatos a asilo cujo pedido seja recusado pela Justiça deverão abandonar o país. “Isso nos dá a possibilidade de receber as pessoas em situação de emergência”.

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

Aqueles que tentarem dissimular sua verdadeira identidade ou que tenham cometido delitos serão rapidamente expulsos. O Departamento Federal de Migrações (Bamf) poderá igualmente acessar os celulares dos solicitantes de asilo cuja identidade não for claramente estabelecida, segundo o governador do estado de Hesse (centro), Volker Bouffier, membro do partido conservador CDU de Merkel.

LEIA TAMBÉM

• Ao menos 46 corpos de imigrantes são encontrados dentro de caminhão, no Texas• Líderes europeus visitam a Ucrânia e prometem apoio contra a Rússia• Vídeo: em Berlim, um morre e dezenas ficam feridos após atropelamento

Os estados têm competência para expulsar os imigrantes. “Temos que aumentar o traslado às fronteiras e as expulsões porque o número de pedidos de asilo reprovados está aumentando”, disse o ministro de Interior, Thomas de Maizière.

Entre as medidas contempladas está a criação de um “centro de expulsões”, que permita a coordenação entre os governos federal e regionais. Além disso, os imigrantes serão ajudados financeiramente para estimulá-los a regressar a seus países.

Tags: