Anápolis: família de homem morto pela esposa faz carreata para pedir justiça

Movimento está previsto para 16 horas desta sexta-feira, 24. João Victor, de 29 anos, assassinado pela esposa em abril deste ano

Por justiça, a família de João Victor, de 29 anos, assassinado pela esposa em abril deste ano, vai realizar uma carreata em Anápolis. O objeto é chamar a atenção das autoridades para que o crime não fique impune. A manifestação está prevista para às 16 horas desta sexta-feira, 24.

De acordo com a mãe de João Victor, Synara Machado, a carreta vai sair da porta do estádio Jonas Duarte, em Anápolis, a 55 km de Goiânia, e passar pelas principais vias da cidade. Além disso, a família Anapolina criou uma página nas redes sociais para trazer dados do caso e reafirmar o pedido por justiça.

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

Homem é morto a facadas pela esposa

João Victor foi morto a facadas pela esposa, de 36 anos, após uma discussão, em Luís Eduardo Magalhães, na Bahia. No dia seguinte, a mulher foi até a delegacia e confessou o crime.

LEIA TAMBÉM

• Maquiadora e influencer goiana que zombou de vagas para autistas é indiciada• Em Anápolis, Caiado inaugura barragem para garantir água ao Daia• Vídeo: Criança denuncia padrasto por estupro em palestra em escola de Anápolis

De acordo com ela, a briga foi motivada por ciúmes, e que, inclusive, o casal já havia se desentendido antes de voltar para a casa, enquanto visitava uma amiga. Ela se apresentou na delegacia com dois advogados e foi liberada após prestar depoimento.

No início de junho, familiares da vítima ficaram preocupados após tentativas da mulher em ter contato com os filhos do casal. Com medo, após receberem ligações e mensagens dela e do pai dela, eles chegaram a registrar um Boletim de Ocorrências.

Synara Machado, mãe de João Victor, é quem cuida dos netos, de três e cinco anos, em Anápolis, desde o ocorrido. De acordo com ela, a mulher diz que sofre sem os filhos. No entanto, Synara afirma que as crianças estão traumatizadas e que fazem tratamento psicológico.

Ainda segundo a avó das crianças, a mulher divulgou nas redes sociais que está na cidade e, isso, está tirando a paz dela.

Synara ainda não tem a guarda dos netos concedida pela Justiça, mas o processo está em andamento. Entretanto, o Conselho Tutelar, já determinou que a mãe não pode ficar com as crianças.

Ainda segundo Synara, até o momento, a mulher só tentou contato por telefone.

Tags: