Home»Cotidiano»Bem Sertanejo – O Musical, de Michel Teló chega em Goiânia
3
Shares
Pinterest Google+ Whatsapp

Espetáculo pode ser visto até amanhã no teatro da PUC-GO

O espetáculo de teatro “Bem Sertanejo – O Musical”, apresentado pelo Ministério da Cultura, por meio da Lei de Incentivo à Cultura, epelo Circuito Cultural Bradesco Seguros, patrocinado pela Alelo e Raízen, apoiado pela Algar Telecom, Firestone, Comgás e Momenta Farmacêutica, e tendo a Avianca,como transportadora oficial, e a Volkswagen Caminhões e ônibus, como caminhão oficial, chegou a Goiânia e fica até amanhã no teatro da Pontifícia Universidade Católica (PUC-GO), no Jardim Marilízia, para mostrar ao goianiense – um amante nato do gênero musical – a história a música sertaneja. O espetáculo vem percorrendo o país desde abril, quando estreou em São Paulo.
Na superprodução é contada a história da música sertaneja desde a sua origem caipira nos anos de 1920 até os dias atuais, com 56 sucessos consagrados por artistas como Tonico e Tinoco, Sérgio Reis, Almir Sater, Renato Teixeira, Chitãozinho e Xororó,Leandro e Leonardo, Zezé Di Camargo e Luciano, Gustavo Lima, entre outros.

Quem for ao teatro, dessa vez, poderá acompanhar a história do gênero que é um verdadeiro sucesso popular de ponta a ponta do Brasil, desde o seu surgimento até os dias de hoje, tendo incluído ainda os grandes centros urbanos, onde hoje também está disseminado: “Bem Sertanejo – O Musical”. Com o mesmo nome do quadro, que foi um sucesso no programa “Fantástico”,exibido pela Rede Globo de Televisão, o protagonista do musical no teatro será o mesmo apresentador da série que é um sucesso e voltará a ser exibida, em breve, no programa. Michel Teló faz sua estreia como ator. “Esse é outro mundo para mim. É muito novo ter texto para decorar, ter que interpretar um personagem, aprender as marcações diferentes, estar em cima do palco para um musical é diferente. Mas tem sido um desafio muito bacana”, afirma Michel.

O elenco trará ainda nomes de destaque no cenário do teatro musical brasileiro, como Lilian Menezes, que recentemente chamou a atenção ao protagonizar o sucesso “Elis, A Musical”, Sergio Dalcin, cantor sertanejo e ator, com experiência em musicais, e o premiadíssimo elenco de “Samba Futebol Clube” e “Aquele Abraço” que trabalha como autor e diretor Gustavo Gasparani há cinco anos. São eles: Alan Rocha, Cristiano Gualda, Daniel Carneiro, Gabriel Manita, Jonas Hammar, Luiz Nicolau, Pedro Lima e Rodrigo Lima. “Ao escrever Bem Sertanejo – O Musical, voltei à minha infância na fazenda quando queria ser veterinário. A peça conta a trajetória e a formação da música caipira e da cultura interiorana do nosso país de forma poética e não cronológica.  Proponho uma viagem pelos nossos interiores – memórias, infância, descobertas – resgatando, assim, o sertão que há em cada um de nós, e ao mesmo tempo, um contato direto com as nossas raízes culturais. Um sertão mítico, onde o erudito se encontra com a alma popular para criar a identidade de um povo. Um encontro livre de preconceitos e longe da palavra progresso. Onde Tarsila, Mário de Andrade e  Villa-Lobos se encontram com Tonico e Tinoco, Mazzaropi, Jararaca e Ratinho e tantos outros”, explica Gustavo Gasparani.

O sucesso da música brasileira nos mais recentes espetáculos musicais teatrais, apresentados por todo o país, reflete para a produção que não faz mais sentido buscar apenas formatos feitos no exterior. “A música sertaneja veio quebrando barreiras. Historicamente, desde quando ela nasceu, desde quando teve a primeira gravação, o primeiro LP gravado com Cornélio Pires – que juntou uma caravana pra gravar música caipira, o estilo já começou a fazer sucesso. Eu acho que é a raiz do povo. A maioria das pessoas do nosso país, a origem do brasileiro, veio do campo. É de lá que vem a música sertaneja. As pessoas, de alguma maneira, se identificam, toca o coração. Da mesma maneira que o mundo foi evoluindo, foi migrando para o urbano, a música sertaneja foi evoluindo junto. Antigamente, se falava da vida no sertão e, hoje, se fala da vida dessa galera nova, da cidade. E as pessoas se identificam”, finaliza Michel Teló. (Com informações da assessoria do musical)

Newsletter do Jornal Diário do Estado – Assine já!

Comente á vontade!