Caso Wanderson: saiba quais crimes o caseiro cometeu

Caseiro deve responder por sete crimes. Se condenado, pode pegar mais de 120 anos de prisão. Mas juiz pode estender pena por mais 48 anos

O caseiro Wanderson Mota Protácio, 21, deve responder por sete crimes. Segundo a Polícia Civil (PC), se condenado, o suspeito pode passar mais de 120 anos em reclusão.

Wanderson foi preso neste sábado (4/12) em Gameleira de Goiás, após uma fazendeira convencê-lo a se entregar. O caseiro era procurado há seis dias. Para a polícia, ele confessou ter matado a mulher grávida, a enteada e um fazendeiro, no último dia 28, em Corumbá de Goiás, no Entorno do Distrito Federal.

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

Agora de acordo com o delegado Tibério Martins, Wanderson pode responder pelos crimes:

  • Duplo Homicídio qualificado (Feminicídio) – pena 12 a 30 anos de detenção;
  • Aborto (mulher estava grávida) – pena de 3 a 10 anos;
  • Latrocínio consumado – pena de 20 a 30 anos;
  • Latrocínio tentado – até 30 anos;
  • Furto qualificado (arma do patrão) – de 2 a 8 anos;
  • Tentativa de estupro – de 6 a 10 anos;
  •  Porte de arma – de 2 a 4 anos.

Ainda segundo o delegado, durante o julgamento o juiz pode considerar outros agravantes e puni-lo. Com isso, a pena pode passar de 168 anos.

Relembre os crimes

Wanderson Mota Protácio confessou ter matado três pessoas na zona rural de Corumbá de Goiás. O crime aconteceu na noite de domingo (28/11). De acordo com a PC, o caseiro ainda tentou estuprar uma mulher, como não conseguiu, ele bateu nela e atirou em seu ombro. A mesma fingiu estar morta, esperou ele ir embora e pediu socorro aos vizinhos. Ela foi levada para o Hospital de Urgências de Anápolis (Huana).

Ainda de acordo com a polícia, a ordem dos crimes foi: Primeiro, o suspeito matou a facadas, Ranieri Aranha Figueiró, de 21 anos (mulher dele). Em seguida, Geysa Aranha da Silva Rocha, de 2 anos e nove meses. Na sequência, roubou a arma de um vizinho e executou Roberto Clemente de Matos, de 73 anos, com um tiro na cabeça. Depois, tentou estuprar a mulher de 45 anos.

Posteriormente, Wanderson usou a caminhonete de Roberto para fugir, mas abandonou o veículo na GO-225 após um acidente. O carro foi achado na mesma noite pela polícia.

Anteriormente, em 2019, ele cometeu uma tentativa de feminicídio em Goianápolis. Em Patrocínio (MG), foi preso, ano passado, por latrocínio. Ele matou um taxista, a facadas, em São Gotardo, região do Triângulo Mineiro.

Fazendeira convenceu Wanderson a se entregar

 

Foto: Divulgação PC

Por volta de seis da manhã deste sábado (4/12), Wanderson Mota apontou uma arma para a fazendeira Cindra Mara, na região de Gameleira de Goiás. A mulher o convenceu a se entregar à polícia, depois de seis dias em fuga.

Em coletiva à imprensa, a mulher falou, emocionada, sobre o ocorrido. “Foi Deus que deu livramento para mim, meu marido e para os policiais”, comentou.

Por fim, ela disse que fez uma foto ao lado de Wanderson para provar à polícia que estava com o suspeito, já que havia possibilidade de denúncias falsas.

Tags: