//

Lula diz que “Caiado é o adversário principal em Goiás”

Em

O presidente Luís Inácio Lula da Silva disse que uma frente ampla deve sustentar seu palanque em Goiás na próxima eleição e que o candidato pode até mesmo não ser do PT. Sem falar nomes, uma vez que, segundo ele o Grupo de Trabalho do PT goiano está trabalhando neste sentido, ele reforça a ideia de que uma união de forças progressistas surja em oposição ao governo Caiado. “Caiado é o adversário principal em Goiás”, disse em entrevista ao jornalista Edmilson dos Santos, da Rádio Difusora Pai Eterno, na manhã desta terça-feira, 27. Segundo ele, o PT está montando uma frente ampla para construir um palanque onde ele tenha o maior apoio político possível.

Lula concedendo entrevista ao jornalista Edmilson dos Santos na Rádio Difusora.

A mesma união de forças progressistas será observada na campanha presidencial porque, conforme Lula, os problemas do Brasil e as soluções que o Brasil precisa estão em mais de um partido e em mais de um político. “O problema é de todo mundo e a solução passa por todos. É preciso unir todos os setores e isso se dá com uma frente ampla”.

Líder nas pesquisas de intenção de votos, Lula disse que só é contra seu projeto de reconstrução uma elite econômica que ainda tem consciência escravista. Ele lembrou que em 2003, quando assumiu a Presidência da República, o Brasil devia ao FMI mais de 30 milhões de dólares. Seu governo conversou com todos os setores e juntos, venceram a crise. Ao deixar o governo, deixou uma reserva de mais de 370 bilhões de dólares. “Pagamos a dívida, investimos em todos os setores, mas a prioridade foi atender a necessidade do pobre. Não tem conserto o país que não investe no pobre porque é ele que faz o país crescer. Enquanto o rico ganha dinheiro e deposita ou investe no exterior, o pobre, quando tem dinheiro, compra na venda do setor, movimenta a economia local, reaquece o mercado interno”.

Lula criticou o governo Bolsonaro e o próprio presidente, a quem considera um solitário e mazoquista, disseminador de fake news e que não se preocupa com o povo brasileiro. “Ele não dialoga com os setores da sociedade, não consegue administrar crises, não tomou providências quando a pandemia surgiu na China e chegou na Europa. Deixou que chegasse ao Brasil e não criou um comitê de crise, não comprou vacina. É responsável por parte das mortes decorrentes da covid. Ele dissemina ódio e a gente tem de pensar nas pessoas como seres humanos, com paixão e compaixão. Temos de ter respeito com o povo brasileiro, voltar a tratar a humanidade com humanismo. Falar em paz e em amor”. Lula finalizou dizendo que em breve virá a Goiás para a realização de um ato político.

Assista:


Rosana Melo

Rosana Melo é jornalista, vencedora dos prêmios: Prêmio AMB de Jornalismo da Associação dos Magistrados Brasileiros - Regional Centro Oeste; 13º Prêmio Embratel Regional Centro Oeste; 2º Prêmio MP-GO de Jornalismo; Prêmio OAB-GO de Jornalismo - todos em primeiro lugar e menção honrosa como finalista em dois Prêmios Esso categoria Jornal Impresso.