Francisco Júnior diz que reunião do PSD não decidiu sobre apoio em 2018

Após reunião com a cúpula do PSD ontem (07), o deputado estadual Francisco Júnior (PSD) afirmou que o encontro não trouxe decisões sobre apoios ou alianças para as eleições de 2018, e que isso será feito apenas no “momento oportuno”, mas confirmou que houve consenso para que a sigla busque “uma proposta para Goiás” para apresentar a sociedade goiana no próximo ano.

A conversa das lideranças do PSD ocorreu após especulações sobre o apoio do partido, ou a negativa deste, ao pré-candidato do governo estadual, José Eliton (PSDB) e também sobre a possibilidade da legenda lançar candidatura própria ou encabeçar uma chapa majoritária nas próximas eleições, fato que não foi negado por Francisco Júnior.

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

“Temos bons nomes, seja para a chapa majoritária como governador, senador, bons deputados. E nós queremos colaborar e sim o PSD quer participar de uma cabeça de chapa, mas isso não está decidido ainda, tem muita água ainda para passar embaixo da ponte”, comentou.

LEIA TAMBÉM

• Lissauer muda de ideia e diz que será candidato ao Senado em qualquer situação• Vereador se envolve em polêmica após agredir comunicador, em Santa Helena• Vanderlan critica candidatura de Lissauer ao Senado

Porém, ele reafirmou que até o momento nenhuma decisão será tomada. “Não tem como tomar decisão nesse momento sobre apoio, até porque existe toda uma discussão para acontecer até o momento propício que é março de 2018”, e continuou: “O que o PSD decidiu é que vai conversar, está dialogando, que vai fortalecer o partido, vamos fazer eventos regionais, vamos buscar montar uma boa chapa de deputados estaduais e federais”.

O parlamentar disse que o PSD decidiu conversar com a sociedade organizada e “conseguir captar da sociedade a sua vontade e sua expectativa” para poder apresentar no momento eleitoral este projeto para a população e a partir dele, construir as alianças.

“Mas agora não há nenhuma definição de base, de oposição, nada disso. Não tem sentido fazer essa discussão agora. Continuamos no governo, da base, mas não estamos fazendo escolha entre a, b ou c em termos de candidatos até porque essas candidaturas elas ainda precisam ser construídas, trabalhadas e é isso que nós vamos fazer”, finalizou.

Tags: