Homem é preso se passando por policial para roubar celulares

O suspeito abordava as vítimas alegando ser policial, ordenando a entrega de aparelhos celulares sob o pretexto de verificação de envolvimento das vítimas com crimes que aconteceram na região.

A Polícia Civil do estado de Goiás (PC GO), prendeu na última sexta-feira (15), um homem, 36 anos, suspeito de ter se passado por policial para cometer cinco roubos no mês de agosto de 2021, em Goiânia. O cumprimento do mandado de prisão preventiva foi feito por meio da 23ª Delegacia Distrital de Polícia (DDP) de Goiânia

De acordo com a polícia, o investigado abordava as vítimas alegando ser policial. Ele ordenava a entrega de aparelhos celulares sob o pretexto de verificação de envolvimento das vítimas com crimes que aconteceram na região. Após a entrega, o homem fugia na condução de um veículo Fiat Fiesta, cor preta.

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

Em vídeo divulgado pela policia, em um dos roubos, o investigado está em seu carro perseguindo uma vítima que está pilotando uma motocicleta, em certo momento, a vítima perde o controle e cai da moto. Então, o homem desce do carro e pega o celular da motociclista.

LEIA TAMBÉM

• Bolsonaro tem agenda em Goiânia na quarta-feira, 24• Madre Germana 2: Moradores são convocados para receber escrituras• Vídeo: Motorista desrespeita sinal de pare, bate veículo e invade supermercado, em Goiânia


Ele foi preso conforme a troca de informações entre a equipe da 23ª DDP com a Central Geral de Flagrantes de Goiânia. Com isso, foi possível identificar o veículo utilizado pelo criminoso e, por consequência, obter sua qualificação. Motivo que o levou à expedição do mandado de prisão cautelar.

De acordo com o delegado Guilherme Condé, após o cumprimento do mandado de prisão, o suspeito foi interrogado e confessou todos os crimes.

“No depoimento ele mesmo confessa que utilizava esses aparelhos como forma de pagamento de dívidas a traficantes. Ele é usuário de drogas, não possuía nenhuma passagem e utilizava esse meio para pagar suas dívidas”, completa Guilherme.

A investigação continua na tentativa de localização de outras vítimas, bem como outros bens roubados.