Hospital de Anápolis vai indenizar gari por ferimento com seringa

O objeto havia sido descartado de forma irregular. O hospital se negou a prestar atendimento na hora do incidente

A justiça condenou um hospital a pagar uma indenização de R$ 15 mil a um homem que furou a mão com uma seringa enquanto recolhia o lixo em Anápolis. O objeto havia sido descartado de forma irregular e, de acordo com os autos, o hospital se negou a prestar atendimento na hora do incidente.

De acordo com o processo, o caso aconteceu em maio de 2018, nas dependências do Hospital Evangélico Goiano (HEG). Durante o serviço de coleta de lixo, o homem acabou perfurando a mão por causa de uma seringa descartada de forma irregular, em lixo comum. A situação, de acordo com a defesa dele, causou angústia com o risco de infecção e o obrigou a tomar um coquetel de remédios para a prevenção de doenças.

Um colega de trabalho que estava com a vítima no dia do incidente disse que o hospital recusou assistência solicitada. O juiz responsável pelo caso, Leonys Lopes Campos da Silva, afirmou que o trabalhador conseguiu provar que houve descarte irregular e que isso causou abalo moral nele.

Tags: