Operação Dardanários: Após prisões, Juceg presta esclarecimentos

Em nota, junta comercial esclarece que contratos foram firmados na gestão do ex-governador Marconi Perillo

Após prisão do ex-presidente da Junta Comercial do Estado de Goiás (Juceg), Rafael Lousa, e do ex-deputado federal de Goiás, Alexandre Baldy, o governo do estado prestou esclarecimentos por meio de nota.

Acompanhe a nota na íntegra:

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

Em relação a Operação Dardanários, que foi deflagrada na manhã desta quinta-feira (6/8), pela Polícia Federal e pelo Ministério Público Federal, e que culminou na prisão do ex-presidente da Junta Comercial do Estado de Goiás Rafael Lousa, dentre outros detidos, a Juceg esclarece que tratam-se de contratos firmados na gestão do ex-governador Marconi Perillo, datados do anos de 2013, com a Fundação de Apoio Fiotec.

LEIA TAMBÉM

• Projeto quer reduzir etapas e tempo para abertura de empresa em Goiás• Goiás registra 2.919 aberturas de empresas• Goiás registra abertura de 2.375 empresas em outubro

A Juceg esclarece ainda que não foi alvo de nenhum mandado por parte da PF e tampouco por parte do MPF na data de hoje e que há, em vigência, desde 2019, quando a nova gestão do Governo de Goiás assumiu, 25 contratos atuais com empresas, nenhuma delas citadas na operação.

Por fim, ressaltamos que a atual gestão da Juceg, em consonância com o atual Governo do Estado, não coaduna com direcionamento de contratos ou qualquer outra atividade ilícita, pautando todos os seus atos pela transparência, legalidade e impessoalidade.

Tags: