Operação Harém tem MC Mirella e Núbia Olliver envolvidas

A operação é contra tráfico de mulheres para fora do Brasil

A operação Harém BR, da Polícia Federal, chegou a envolver a funkeira MC Mirella e a modelo Núbia Olliver nas investigações. A operação, iniciada em 2019, combate o tráfico de mulheres que eram aliciadas pelo grupo criminoso, fotografadas e enviadas para países como Estados Unidos, Paraguai, Bolívia, Catar e Austrália. Algumas das mulheres eram menores de 18 anos.

MC Mirella teria sido uma das vítimas, tendo aliciada quando ainda era menor de idade. A funkeira foi chamada para prestar depoimento em condições de vítima e testemunha contra o grupo criminoso neste domingo (2). A defesa da artista ressalta “não existe qualquer investigação ou acusação contra Mirella” e que “ela já contribuiu com seu testemunho”.

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

O líder do grupo seria o empresário Rodrigo Cotait. Em reportagem ao Fantástico, Cotait era apontado como aliciador e fotografava as mulheres. O mesmo possuía uma empresa de maquiagem e usava o empreendimento para intermediar o esquema, segundo investigações.

LEIA TAMBÉM

• MC Mirella sofre ataques após anunciar divórcio: “Não tenho mais paciência”• MC Mirella sai de casa pra não encontrar com Dynho• MC Mirella usa biquíni de fita isolante em praia

“As meninas que viajam comigo vêm todas na minha casa. Só mando viajar produto de exportação que tem meu selo de qualidade. É o vídeo de acordo com o que eles [clientes] querem ver. Sem produção nenhuma.” diz Cotait em áudio vazado durante o programa.

Núbia Ólliver, é acusada de estar associada à organização criminosa que promovia o tráfico internacional de mulheres. Segundo a Polícia Federal, ela ajudava o empresário a selecionar as garotas que seriam aliciadas. O Fantástico também divulgou o áudio onde a voz da modelo aparece. “Te passei umas meninas aí para te ligarem. Essas eu sei que são do Rio [de Janeiro]”, afirmou a modelo em conversa com Cotait. “Você acha que R$ 10 mil a gente consegue cobrar? Aí a gente dá R$ 5 mil para ela e divide R$ 5 mil”, respondeu o empresário.

Logo em seguida, Núbia teria pedido para não ser citada nominalmente nas negociações  “Só não usa meu nome, porque como a gente é mais conhecida, não gera fofoca, enfim”. A defesa da modelo ainda não manifestou.

Prisões

A PF prendeu oito pessoas no âmbito da operação na terça-feira (27). Também foram cumpridos nove mandados de busca e apreensão. Um dos presos é Rodrigo Cotait que negou o crime:  “Eu sou solteiro, então recebo muitas mulheres na minha casa. Não me considero um fora da lei ou bandido.”

Os mandados judiciais foram cumpridos em seis cidades: São Paulo/SP, Goiânia/GO, Foz do Iguaçu/PR, Venâncio Aires/RS, Lauro de Freitas/BA e Rondonópolis/MT. Cinco ordens foram incluídas na Interpol, mais precisamente no Paraguai, Estados Unidos, Espanha, Portugal e Austrália.

O caso é investigado desde 2019, durante a desarticulação de um grupo estelionatário que praticava clonagem de cartões de crédito pela internet. A partir disso, foram identificadas compras feitas pelos estelionatários com cartões clonados onde foram compradas passagens aéreas com destino a Dohar, no Catar. Duas mulheres foram identificadas e disseram ter recebido as passagens de um homem que as agenciava para a prostituição.

 

Tags: