Home»Cotidiano»Pit-Dogs podem se tornar patrimônio histórico e cultural em Goiânia

Caso projeto seja aprovado lanchonetes não poderão ser removidas ou modificadas sem autorização do Iphan

0
Shares
Pinterest Google+ Whatsapp

“Nosso funcionamento é constantemente ameaçado pela falta de uma legislação específica que regulamente a atividade. O tombamento é uma possibilidade que irá promover a padronização das sanduicherias e  a inclusão dos lanches na gastronomia nacional”

Ícones da cultura gastronômica de rua de Goiânia, os famosos Pit-Dogs poderão ser agraciados com um reconhecimento legislativo. Foi aprovado, em primeira votação na Câmara Municipal, projeto de lei com objetivo de tornar as sanduicherias patrimônio histórico e cultural da capital. Caso o dispositivo seja aprovado e, sancionado, lanchonetes não poderão ser removidas ou modificadas sem autorização do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

O projeto é de autoria dos vereadores Alyson Lima (PRB) e Zander Costa (PEN),com objetivo de valorizar e dar segurança aos estabelecimentos tipicamente goianienses. Alyson Lima acredita que são no mínimo, 50 anos de presença desses estabelecimentos na capital, os quais enfrentam um momento de “fragilidade”, no que diz respeito a importância histórica que eles representam. “Pouco tempo atrás havia na prefeitura um calendário de demolição de 35 estabelecimentos em situação irregular, que foi suspenso. Então, este é um presente, com o qual poderão ter acesso a mais linhas de crédito, além de terem mais segurança para desempenhar a atividade, que é geradora de tantos empregos”, destaca.

Porém, caso a proposta seja aprovada, nem todos os estabelecimentos serão tombados. “O projeto ainda será debatido com outros vereadores, passará pela análise de comissões e iremos, isso ainda não foi feito, buscar a construção de uma agenda com Iphan para elaboração de critérios para moldar os tombamentos”, afirma.

O presidente do Sindicato dos Proprietários de Pit-Dog (Sindpit-Dog), Ademilson Godoy, a iniciativa é um reconhecimento a resistência desses estabelecimentos. Um Pit-Dog no Setor Marista chegou a ser removido forçadamente em fevereiro deste ano. A demolição causou a revolta da categoria, que conseguiu suspender, parcialmente, a execução. “Nosso funcionamento é constantemente ameaçado pela falta de uma legislação específica que regulamente a atividade. O tombamento é uma possibilidade que irá promover a padronização das sanduicherias e  a inclusão dos lanches na gastronomia nacional”, ressalta.

Newsletter do Jornal Diário do Estado – Assine já!

Comente á vontade!