//

Apesar de negar, Paulinho foi levado algemado pela PM até a delegacia

Em

Ele disse aos militares que não portava arma no carro, mas estava com uma pistola calibre 380 com registro vencido sob o banco do veículo

O ex-prefeito de Hidrolândia e ex-presidente da Associação Goiana dos Municípios, Paulo Sérgio de Rezende, conhecido como Paulinho, negou, em mensagem de áudio enviado a grupos de WhatsApp que teria sido preso no final da tarde de sexta-feira, como revelou com exclusividade o Diário do Estado.

Paulinho informou que teria sido abordado pela Polícia Militar quando voltava da fazenda do irmão e que foi conduzido à Delegacia de Hidrolândia porque estava sem o documento da pistola calibre 380 que estava sob o banco do veículo Gol que conduzia.

Na delegacia, segundo ele, teria sido liberado assim que mostrou o documento da arma.Paulinho justificou que foi armado até a fazenda do irmão pelo perigo de transitar na região naquele horário. “Meu irmão já levou três tiros”, comentou.

Paulinho não ficou preso realmente, mas segundo a ocorrência número 20690398, da Polícia Militar, Paulo Sérgio foi abordado pelas equipes das viaturas 10556, 10551 e 11993 em um bloqueio estático do Batalhão Rural da PM no quilômetro 18 da estrada vicinal que liga Oloana a Hidrolândia.

Os policiais perguntaram se ele portava arma ou droga no veículo e ele disse que não, mas durante a revista veicular a pistola Taurus calibre 380 com 15 munições não deflagradas foi encontrada sob o banco do motorista. A arma é registrada, mas ele não estava com porte da arma, recebendo voz de prisão.

Ele foi conduzido, segundo a ocorrência, algemado, até a delegacia, onde constatou-se que o registro da arma está vencido desde 2019. Ele teria sido autuado com base no artigo 14 do Estatuto do Desarmamento.

Paulinho negou a versão da PM em vídeo, assista;


Rosana Melo

Rosana Melo é jornalista, vencedora dos prêmios: Prêmio AMB de Jornalismo da Associação dos Magistrados Brasileiros - Regional Centro Oeste; 13º Prêmio Embratel Regional Centro Oeste; 2º Prêmio MP-GO de Jornalismo; Prêmio OAB-GO de Jornalismo - todos em primeiro lugar e menção honrosa como finalista em dois Prêmios Esso categoria Jornal Impresso.