Após escândalo, Queiroga suspende contrato da Covaxin

Os irmãos Miranda denunciaram à CPI da Covid irregularidades na assinatura do contrato e revelaram pressão atípica para liberar o imunizante

Após indícios de corrupção no contrato para a compra da vacina indiana Covaxin, o ministro da saúde, Marcelo Queiroga, disse para CNN Brasil que decidiu suspender a negociação, intermediada pela farmacêutica brasileira Precisa Medicamentos.

De acordo com a Mídia Ninja, o contrato para a aquisição da vacina Covaxin foi assinado pelo Brasil em fevereiro, prevendo a importação de 20 milhões de doses do imunizante, desenvolvido pela indiana Bharat Biotech. As doses nunca chegaram a ser enviadas ao Brasil, uma vez que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) negou seguidos pedidos de importação do imunizante, que não atendia aos critérios técnicos.

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

Na última sexta-feira (25), os irmãos Miranda denunciaram à CPI da Covid irregularidades na assinatura do contrato e revelaram pressão atípica para liberar o imunizante. Segundo relataram, o caso foi levado diretamente ao presidente Jair Bolsonaro, que teria citado o nome de seu líder na Câmara, Ricardo Barros, como o responsável pelas negociações paralelas da vacina.

Tags: