Entenda como funciona a fiscalização dos preços dos combustíveis em Goiânia

Até o momento já foram notificados seis postos, sendo que dois apresentaram irregularidades

Em entrevista ao Jornal Diário do Estado, o presidente do Procon Goiânia, Gustavo Cruvinel, falou sobre a fiscalização do preço dos combustíveis nos postos da capital.

O especialista explicou que a fiscalização está sendo realizada com duas frentes nas operações. “A primeira tem a intenção de fiscalizar os impostos dos tributos federais. E em segundo é em relação ao diesel”, destaca.

Ele informa que até o momento já foram notificados seis postos, sendo que dois apresentaram irregularidades. “A operação começou hoje. Em dos postos estavam vendendo produtos para carro com a data de validade vencida. Também sendo autuado por esse motivo”, relata.

Para descobrir sobre a cobrança indevida do imposto federal é necessário apenas pedir o cupom fiscal após o abastecimento. “No final aparece escrito tributos federais e deve estar zerado. Em relação aos preços, a gente dá o prazo de cinco dias para os postos de combustíveis apresentarem as notas de entrada e de saída, e leva para o departamento de cálculo e pesquisa para verificação.”

Ele informa que no início de março alguns postos continuam cobrando os impostos, mas o combustível havia sido comprado antes do dia primeiro. “Aquele estoque eles podem vender cobrando aqueles impostos. Após a compra do primeiro dia de março não.”

Assista a entrevista completa.

Tags: